Gigantes online testam novo modelo de curso grátis

Iniciativa pretende testar um modelo de curso de oito semanas sem instrutor

Patrícia Gomes, do Portal Porvir,

23 Agosto 2012 | 18h44

A roda dos cursos online gratuitos universitários não para de girar. Depois de Coursera, MITx e edX terem impulsionado um novo modelo de aprendizagem chamado nos EUA de Mooc (Massive Open Online Course, cursos virtuais grátis para grandes quantidades de alunos), alguns dos gigantes do universo educacional online se reuniram em torno do conceito Mechanical Mooc, ou Mooc Mecânico, e lançaram um curso de “introdução delicada a [liguagem de programação] Python” que funciona de forma automatizada.

A iniciativa pretende testar um modelo de curso de oito semanas sem instrutor. Assim, em vez de aulas serem organizadas por um professor, elas seguirão a cadência de e-mails pré-agendados. “Com os MOOCs que vimos até agora, ainda há um professor que dá a disciplina. Nosso curso não tem tutor. Nossa teoria é que as ferramentas de aprendizagem on-line se tornaram robustas o suficiente e que, com alguma orientação, os alunos possam trabalhar juntos para ajudar uns aos outros sem a necessidade de uma autoridade central”, diz a Peer 2 Peer University, que participa do projeto.

O Mooc Mecânico usa as especialidades que MIT OpenCourseWare, OpenStudy e CodeAcademy desenvolveram no ensino online: conteúdos, redes e exercícios, respectivamente. Por se apoiar nesse know-how, o curso introdução delicada ao Python não começa seu desenvolvimento do zero e será mais barato do que os cursos on-line mais tradicionais. “Em vez de tentar criar uma plataforma que estruture a experiência de aprendizado do início ao fim, como os Mooc têm feito, estamos levando o que de melhor já existe – o conteúdo do MIT OpenCourseWare, as comunidades da OpenStudy e os exercícios da Codecademy – e vamos juntá-los em uma lista de discussão que vai coordenar a atividade dos alunos”, diz Peer 2 Peer, responsável pela coordenação dessa lista de e-mails.

Para quem ainda não conhece os envolvidos na iniciativa, é bom explicar. O MIT OpenCourseWare é a plataforma que reúne conteúdos produzidos por alunos e professores do MIT e que permitiu o lançamento do MITx – apesar disso, o curso de introdução delicada ao Python não oferecerá um certificado do MITx, mas uma espécie de “distintivo” da CodeAcademy por ter participado. Falando em CodeAcademy, ela é uma startup referência em ensino de programação no mundo e se destacou por criar sistemas de exercícios com feedback instantâneo. Já a OpenStudy é uma espécie de rede social voltada para o aprendizado que reúne estudantes interessados em mesmos assuntos; eles definem sua missão como “fazer do mundo um grande grupo de estudos, que não considera escola, região ou backgroud”. Por último, a Peer to Peer University é um projeto educacional que promove a educação por pares.

As inscrições estão abertas e o curso começa em 15 de outubro. Os alunos poderão interagir em fóruns genéricos ou fazer parte de grupos de estudos de até 10 pessoas. Como não há um instrutor, os alunos podem aprender no próprio ritmo. “Nossa preocupação é menos atingir um grande número de pessoas, e mais sobre como produzir uma boa experiência de aprendizagem para todos os que participam.”

Mais conteúdo sobre:
Moocs educação ead

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.