Gestão Haddad leva em conta matrículas, não vaga disponível

A administração baseia a criação de vagas em creche levando em consideração o atendimento registrado em 1º de janeiro de 2013

Paulo Saldaña, O Estado de S. Paulo

14 Março 2014 | 23h33

SÃO PAULO - A administração de Fernando Haddad (PT) está baseando a criação de vagas em creche da gestão levando em consideração o atendimento registrado em 1º de janeiro de 2013, quando o processo de matrículas ainda estava incipiente. Assim, não leva em conta as vagas já existentes que ainda não estavam ocupadas.

Em abril passado, a Prefeitura divulgou os dados de janeiro, ressaltando que a gestão assumia a rede com 182 mil matrículas. Entretanto, todos os balanços mensais de atendimentos em creche são divulgados no fim do mês. No fim de janeiro de 2013, por exemplo, já havia 203 mil matrículas. O secretário Cesar Callegari confirma a decisão da Prefeitura. "Somos responsáveis a partir do dia 1º. Vamos comparar os dados de 1º de janeiro com 31 de dezembro de 2016", diz.

O advogado Salomão Ximenes, da Ação Educativa, diz que é necessário ajustar os critérios de cobrança. "O fundamental é o numero de vagas criadas."

Na segunda-feira, vai a julgamento uma ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) pelo descumprimento de decisões judiciais que determinavam o atendimento da demanda por educação infantil. A ação foi proposta pelo Ministério Público em 2011.

Mais conteúdo sobre:
Haddad creche

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.