1. Usuário
Assine o Estadão
assine


FGV terá vagas reservadas para o Enem no próximo vestibular

Guilherme Soares Dias, especial para o Estado

05 Junho 2014 | 16h 38

Alunos que tentam cursos de Administração e Administração Pública poderão utilizar notas do exame

SÃO PAULO - A Escola de Administração em Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em São Paulo vai passar a adotar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir deste ano para os vestibulares dos cursos de Administração e Administração Pública. Das 200 vagas ofertadas no curso de Administração, 15 serão reservadas para estudantes que alcançarem média acima de 750 pontos no exame. Já em Administração Pública, 5 das 50 vagas oferecidas serão destinadas para o Enem.

De acordo com o coordenador do curso em Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV), Fernando Abrúcio, a intenção é aumentar a diversidade dos alunos que estudam na escola. "Já fazemos pré-vestibular para alunos de escola pública, oferecemos bolsas para os primeiros colocados no vestibular e bolsas socioeconômicas, além de fundo reembolsável", diz. Dessa forma, os alunos que entrarem por meio do Enem poderão concorrer também a bolsas que podem chegar a até 100% da mensalidade.

Os estudantes que prestarem o Enem podem também fazer o vestibular da instituição e depois escolher a maior nota alcançada. A intenção da FGV, segundo Abrúcio, é atingir estudantes de fora de São Paulo e das cidades onde são realizadas a prova hoje. "É mais caro vir para São Paulo fazer a prova ou pagar uma nova inscrição, por isso, quisemos adotar um exame que fosse nacional", diz. Além de São Paulo, a prova da FGV é aplicada em Salvador, Fortaleza, Brasília, Rio de Janeiro, Ribeiro Preto (SP) e Londrina (PR).

Para ele, a adoção do Enem não torna o vestibular da FGV mais fácil, já que foi adotado uma nota alta como média. "Esse é o mesmo patamar que os alunos que entram aqui conseguem. Não é impossível atingir, mas também não será mais fácil. Continuamos selecionando por meritocracia, mas atraindo novos talentos", diz. Além disso, a FGV vai considerar as notas de Ciências Humanas do Enem com peso 2 na nota final.

Questionado se o anúncio após o fim das inscrições no Enem 2014 não prejudicaria alguns candidatos, o o coordenador do curso em Administração Pública da FGV descarta a hipótese. "Antes, as escolas de elite, não faziam o Enem, mas hoje 90% dos alunos do Ensino Médio farão o exame. Há recorde de inscrições", ressalta.

  • Tags: