Davi Lira/Estadão
Davi Lira/Estadão

Família Brito compõe 90% da população de Cocal dos Alves

Cidade do interior do Piauí tem escola que desbancou 5 mil instituições do País

Davi Lira, de O Estado de S. Paulo, enviado especial a Cocal dos Alves (PI),

08 Dezembro 2012 | 18h05

Duas características marcam os 5 mil moradores de Cocal dos Alves. A primeira é que quase todos os casais têm algum parentesco – geralmente, o marido é primo da mulher. A segunda, consequência da anterior, é que mais de 90% da população tem o mesmo sobrenome: Brito. “Antes só existiam os Alves, agora só temos os Britos. Deveriam até mudar o nome da cidade para Cocal dos Britos”, diz a agricultora aposentada Lavina Alves, de 62 anos.

 

“Hoje, Cocal deve ter perto de 7 mil habitantes. A gravidez precoce entre casais de 13 a 15 anos é alta”, diz a assistente social de Cocal, moradora de Teresina, Cleidineide Oliveira. “Cerca de 10% dos bebês nascem com necessidades especiais por serem filhos de relação consanguínea.”

 

A cidade, que fica a quatro horas de carro da capital, não tem hospital nem delegacia. A agricultura é a base econômica. Quem quer se empregar formalmente tem poucas opções: o trabalho na prefeitura (que está com a folha salarial atrasada em 2 meses) ou o pequeno comércio local. Apesar da pobreza, há apenas um morador de rua: um tal de Mariano.

Mais conteúdo sobre:
Ensino médio Enem Cocal dos Alves Piauí

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.