Exposição conta história da Escola Caetano de Campos

Interativa, mostra permite que visitantes circulem por réplicas de salas de aula da década de 1930

Bibiana Guaraldi, Especial O Estado

10 Outubro 2014 | 22h49

SÃO PAULO - Será inaugurada neste sábado, 11, a exposição 'Ramos de Azevedo e a Escola Caetano de Campos', no Arquivo Histórico de São Paulo. Com curadoria da arquiteta Patrícia Golombek, a mostra reúne fotografias, vídeos, maquetes, réplicas de uniformes, móveis e depoimentos de ex-alunos da Escola Caetano de Campos, compreendendo a época que a escola ocupou o prédio projetado pelo arquiteto Ramos de Azevedo na Praça da República, entre 1894 e 1977. 

Patrícia tem uma relação de longa data com a Caetano de Campos. Durante oito anos, de 1969 a 1977, a arquiteta estudou na escola, do jardim de infância à oitava série. Assim, considera que, mais do que uma homenagem, a exposição é também uma forma de retribuir as boas lembranças e os amigos que encontrou no prédio da Praça da República. Além da mostra, Patrícia também escreveu um livro sobre a escola, 'Caetano de Campos, a escola que mudou o Brasil', que deve ser lançado ainda neste ano pela editora Edusc.

Criada em 1846, a Caetano de Campos é conhecida por seu pioneirismo. Foi a primeira escola de professores de São Paulo, primeira escola-modelo, primeiro jardim de infância do ensino público, além de ser a primeira escola brasileira que incluiu alunos cegos em turmas convencionais. Pensando nisso, Patrícia firmou uma parceria com o Centro Universitário Senac, e os alunos do curso de Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo produziram uma maquete com todo o complexo escolar. "Os ex-alunos deficientes visuais poderão tocar a maquete e compreender pela primeira vez como era o prédio em que estudaram pela vida inteira", conta.

Os alunos do curso de Bacharelado em Audiovisual gravaram depoimentos e editaram vídeos que integram a mostra. Já os alunos do Bacharelado em Design de Moda desenvolveram réplicas de todos os uniformes usados na escola durante o século 20, a partir da pesquisa realizada por Patrícia. Segundo ela, pelo fato de os uniformes seguirem as tendências da época em que foram criados, a exposição oferece um panorama da moda através do tempo. Além disso, quem visita a exposição encontra itens do mobiliário original da escola do final do século 19 e início do 20, as reconstituições de uma sala de aula da década de 1930 e outra de jardim de infância. Dentre os móveis, se destaca a réplica da carteira escolar que Ramos de Azevedo desenvolveu especialmente para a escola, considerada a primeira peça de design projetada por um brasileiro.

A ideia da exposição surgiu a partir de um encontro de ex-colegas realizado em 2010. Naquele ano, Patrícia começou a pesquisar sobre a história da escola, e a quantidade de material encontrado por ela fez com que criasse um site para reunir as informações. No endereço www.iecc.com.br, além de fotos e depoimentos de ex-alunos e ex-professores, há também uma sessão dedicada a reunir pessoas ligadas à escola. Dentre os ex-alunos famosos da Caetano de Campos estão Oswald de Andrade, Lygia Fagundes Telles, Fúlvio Stefanini, Renato Consorte, Emerson Fittipaldi, Inezita Barroso, Franco Montoro, e Arnaldo Baptista.

Exposição Ramos de Azevedo e a Escola Caetano de Campos

Curadoria: Patricia Golombek

Produção Cultural: Arte Marca

Local: Arquivo Histórico de São Paulo - Praça Coronel Fernando Prestes, 152 - Luz

Quanto: Entrada franca

Inauguração: 11 de outubro às 11h

Data: 13 de outubro a 29 de novembro das 9 às 17 horas (fechado aos domingos)

Mais conteúdo sobre:
Escola Caetano de Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.