Exame do Cremesp para formandos de Medicina teve 2,5% de abstenção

Prova foi aplicada ontem para quase 3 mil estudantes; alunos protestaram

Estadão.edu com Ricardo Brandt, da Agência Estado,

12 Novembro 2012 | 11h05

O exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) teve a participação de 2.852 formandos de Medicina na primeira edição obrigatória da prova, que ocorreu neste domingo, 11. Dos 2.924 inscritos, 2,46% não compareceram, o que corresponde a 72 ausentes.

A avaliação foi  realizada na capital, em Botucatu, Campinas, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São Carlos, São José do Rio Preto e Taubaté.

A prova contou com 120 questões objetivas de múltipla escolha que abrangem problemas comuns da prática médica, de diagnóstico, procedimentos e outras situações, em nove áreas básicas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Ginecologia, Obstetrícia, Saúde Mental, Epidemiologia, Ciências Básicas e Bioética.

Pela primeira vez a participação no exame foi obrigatória para quem deseja obter registro profissional. De 2005 a 2011, a avaliação foi voluntária. Dos 4.821 formandos que participaram nestes sete anos de aplicação da prova, quase a metade (2.250 ou 46,6%) foi reprovada, pois acertou menos de 60% das questões.

O comprovante de participação no exame de ontem será exigido para o registro profissional do médico no conselho. Mas a concessão do registro não dependerá do desempenho ou da aprovação no exame. O resultado individual, por aluno, será confidencial. Segundo o Cremesp, o exame visa a avaliar as escolas de Medicina, não os estudantes, e por isso a nota obtida é confidencial e somente o autor poderá acessá-la.

Boicote

Com camisetas laranja com a opção B assinalada e os dizeres "Por uma avaliação com qualidade", cerca de 50 estudantes de Medicina da Unicamp fizeram um protesto na manhã de ontem, antes da entrada dos formandos para o exame do Cremesp, em Campinas. Eles são contra a aplicação do exame como forma de avaliar o estudante e organizaram um boicote em que a maioria dos 110 alunos deveria ter marcado somente a letra B, de boicote, no gabarito.

Mais conteúdo sobre:
cremesp exame

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.