Estudantes e professores se reúnem para assistir à votação do PNE

O projeto define as diretrizes para a educação brasileira na próxima década

Agência Câmara,

29 Maio 2012 | 16h45

O Plenário 10 das comissões está lotado com comitivas de estudantes, professores e gestores municipais de educação, mas faltam dois deputados para garantir quórum e iniciar a votação do novo Plano Nacional de Educação (PNE) - PL 8035/10.

O presidente da comissão, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), abriu a reunião para ouvir representantes dos movimentos que estão presentes. O coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, foi direto ao principal ponto de reivindicação e pediu que 10% do PIB seja aplicado em educação. Hoje, União, estados e municípios devem aplicar, juntos, cerca de 5% do PIB na área. A proposta inicial do governo era ampliar esse percentual para 7% ao longo dos próximos dez anos.

Já a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), representada por Célia Tavares, reivindicou que esses recursos sejam empregados nos municípios, onde se concentram os 14 anos iniciais da educação.

Representante das Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes), Cristiane Dias da Vitória, deu seu testemunho de ex-aluna da instituição e pediu apoio à educação especial. Patrícia Rezende, da Confederação Brasileira de Surdos, reivindicou educação bilíngue nas escolas e disse que, apesar de o PNE ter incluído em grande parte as reivindicações desse segmento, ela teme pela segregação da escola especial.

A reunião para votação do projeto terá início assim que os deputados registrarem presença, o que deve ocorrer durante a tarde desta terça-feira, 29.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.