Estudantes do Ciência sem Fronteira poderão estagiar nos EUA

Representantes de 66 universidades dos EUA estão no País para atrair jovens a participarem do projeto

Agência Brasil,

31 Agosto 2012 | 10h56

Os estudantes brasileiros que participam do programa de bolsas para iniciação científica Ciência sem Fronteiras terão oportunidade de fazer estágios em empresas nos Estados Unidos. A parceria foi anunciadanesta quinta-feira, 30, durante o encontro entre o subsecretário do Departamento de Comércio dos EUA, Francisco Sanchez, e da secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil (MDIC), Tatiana Prazeres.

Ambos participaram de reunião com empresários na Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília. Cerca de 50 empresas norte-americanas demonstraram interesse em contratar estudantes brasileiros. Segundo Tatiana, a iniciativa visa o intercâmbio de experiências na área tecnológica. “O objetivo é aproximar os alunos brasileiros das tecnologias norte-americanas e vice-versa”, disse.

O secretário norte-americano destacou ainda que representantes de 66 universidades dos EUA estão no País para atrair jovens estudantes a participarem do projeto. Segundo ele, a iniciativa tem “apoio do presidente (Barack) Obama”.

O diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi, destacou que o intercâmbio na área de estágios demonstra a evolução do relacionamento entre Brasil e Estados Unidos nos últimos anos. “Há uma grande mudança na disposição dos dois governos em encontrar soluções para os problemas do setor privado. As discussões devem seguir nesse caminho”, disse.

Mais conteúdo sobre:
Ciência sem fronteiras EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.