Estudantes de Cingapura dão aulas gratuitas online

Site conta com mais de 740 vídeos sobre conceitos abordados no ensino médio

Do portal Porvir,

21 Agosto 2012 | 09h29

Um grupo de jovens estudantes do ensino médio e de universidades de Cingapura está compartilhando aulas gratuitas em vídeo pela internet. O site OpenLectures (Aulas Abertas, em tradução livre) conta com mais de 740 vídeos sobre conceitos de economia, química, matemática e biologia abordados no ensino médio.

Veja um dos vídeos, em inglês, sobre o Teorema de Pitágoras:

Criado em julho de 2011, por Linan Qiu, de 22 anos, aluno da Universidade Columbia, em Nova York, e Yi Tao Zhang, de 21, estudante de Economia de Stanford, o OpenLectures pretende contribuir e complementar o sistema de educação de Cingapura. As aulas apresentam de forma clara e simples o currículo ensinado nas escolas para estudantes que necessitam de revisão ou queiram aprender os conceitos.

“Nossa crença é que a educação deve ser gratuita e acessível a todos, e o esforço, não os recursos financeiros, deve decidir o sucesso”, afirma Samantha Ting, da equipe do OpenLectures, em entrevista ao Porvir. Como Linan Qiu e Yi Tao Zhang estudam nos EUA, hoje eles atuam como consultores do projeto. O CEO atual é o estudante Kenneth Lim.

Semelhante ao minimalismo do Khan Academy, que explica conceitos apenas com animações em uma tela negra e com a voz de um narrador, os vídeos da OpenLectures mostram estudantes em frente a um quadro branco resolvendo problemas ou esquematizando conceitos entre 1 e 15 minutos. É possível enviar perguntas aos autores dos vídeos e comunicar erros.

Cerca de 80 estudantes de todo o país trabalham na produção de aulas. Eles são alunos de escolas top de Cingapura e o mais novo integrante tem apenas 16 anos. “As notas são consideradas quando estamos recrutando, mas a habilidade de explicar conceitos complexos em termos simples é bem mais importante”, disse Linan Qiu para um site de notícias local.

Em matemática, as aulas abordam binômios, cálculos, números complexos, divisão, permutações e combinações, séries e sequências. Os temas principais de biologia são bactérias, ciclo celular, células, regulação genética, genética mendeliana e vírus. Química aborda átomos, eletroquímica, química orgânica e físico-química. Já em economia, conceitos como estrutura de mercado, protecionismo, política monetária e volatilidade são explicados. Cada tópico tem subitens que podem ser divididos em até dez aulas. Outras disciplinas serão incluídas em breve.

De acordo com os organizadores, desde o lançamento em fevereiro de 2012 até agosto, o site atingiu 60 mil visitas e quase 260 mil pageviews. Os visitantes são principalmente de Cingapura, mas há também visitas do Japão, Índia, EUA e Alemanha. O projeto é apoiado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Cingapura, Conselho Nacional da Juventude (associação popular) e pelo Conselho de Desenvolvimento da Comunidade do Noroeste, mas segue “estritamente não lucrativo”. Segundo a equipe, o patrocínio é utilizado para a produção das videoaulas. “Nossas ações são motivadas pelo simples desejo de melhorar a experiência de aprendizagem de um estudante durante seus anos na escola, por isso optamos por não colher nenhum lucro a partir desta start-up”, afirma Samantha Ting.

Fonte: http://porvir.org/porcriar/estudantes-de-singapura-dao-aulas-gratuitas-on-line/20120820

Mais conteúdo sobre:
Educação Educação a distância

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.