Especialista vê crescimento insustentável do sistema federal de ensino

Para o coordenador do Laboratório de Estudos em Educação superior da Unicamp, crise tem relação com falta de previsibilidade e cuidado na expansão do sistema

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

31 Agosto 2017 | 03h00

Com um crescimento maior do que poderia suportar e nenhuma reserva financeira, o sistema federal de ensino superior corria grandes riscos de entrar em crise com o País. É o que aponta o coordenador do Laboratório de Estudos em Educação superior da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Renato Pedrosa.

“Essa crise das federais tem basicamente a ver com a economia e com os cortes do governo. Mas certamente é consequência de uma falta de previsibilidade e cuidado na expansão do sistema até dois ou três anos atrás. Havia uma ideia de que o dinheiro ia crescer, que a receita ia aumentar para sempre”, disse. 

Ele destaca que o fato de o governo federal ter o controle dos recursos pode ser um fator que dificultou o planejamento individual das instituições. “Se estivesse no orçamento de cada uma delas o controle do que vai ter de receita e quanto pode gastar, teriam mais cuidado.”

Pedrosa também destacou que houve um enfoque maior no ensino superior em detrimento da educação básica. “Há um estímulo de entrada na universidade mesmo sem ter uma demanda igual de quem sai do ensino médio.” 

Mais conteúdo sobre:
Ensino Superior

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.