1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Escolas ocupadas não iniciam ano letivo em Goiás

- Atualizado: 18 Janeiro 2016 | 20h 03

Governo oferece transferência para outras unidades; para alunos, medida é 'mais uma forma de pressão para sufocar protesto'

SOROCABA - A Secretaria de Educação Cultura e Esporte de Goiás decidiu não iniciar o ano letivo nas 26 escolas ocupadas por alunos em protesto contra a transferência de gestão da rede estadual para organizações sociais. Nas demais escolas, as aulas têm início nesta quarta-feira, 20. Em comunicado divulgado na tarde desta segunda-feira, 18, a secretária Raquel Teixeira ofereceu aos alunos das escolas ocupadas que quiserem continuar estudando a opção de transferência para outras unidades.

Segundo ela, as aulas nas unidades tomadas pelos alunos só poderão começar depois que ocorrer a desocupação. Havendo demora, os alunos terão de fazer reposição. “Temos 1.135 escolas funcionando muito bem e os alunos são esperados no dia 20 de janeiro”, afirmou. A secretária informou que a decisão foi tomada porque não houve matrículas nas escolas ocupadas. “Como a efetivação (da matrícula) só pode ser concluída pelo diretor ou coordenador dentro da escola, que é onde ficam os documentos, temos uma situação variável no caso das ocupadas”, disse.

De acordo com a secretária, já que as matrículas não puderam ser feitas nessas escolas, os alunos que quiserem estudar têm a opção de solicitar a transferência para outra unidade próxima de onde mora. “É só escolher e ir até lá com os documentos solicitando a transferência, assim todos os alunos serão atendidos no seu direito de estudar.” Já o aluno que insistir em estudar na unidade ocupada terá de aguardar, segundo ela. “No momento em que a escola for desocupada e reorganizada, vamos realizar um calendário específico para cada caso.”

Os estudantes interpretaram como “mais uma forma de pressão para sufocar o protesto” a decisão da Secretaria de oferecer transferência aos alunos, segundo postagem na página do Secundaristas em Luta - Goiás. Na semana passada, o Tribunal de Justiça de Goiás deu prazo de 15 dias para que os estudantes desocupem três colégios de Goiânia, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. O desembargador Geraldo Gonçalves da Costa fixou prazo de 15 dias após a notificação para o cumprimento da decisão.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EducaçãoX