FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Escolas de negócios apostam em novas metodologias

Gestão de recursos, inteligência artificial e até vivências em uma floresta são estratégias das instituições para que alunos reflitam mais

Luciana Alvarez, Especial para O Estado

14 Novembro 2017 | 03h00

No esforço para ensinar os profissionais a inovar, muitos cursos de pós-graduação estão apostando em novas metodologias. A ideia é que o estudante experimente na academia práticas alternativas que possam ser transportadas para o ambiente de trabalho. Entre as novidades há interação com sistema de inteligência artificial, programa de vivências na floresta e meditação. 

O grupo Anima, que atua no ensino superior, fez uma parceria com a escola Lumiar, de educação básica, e juntos estão lançando programas de MBA em que os alunos poderão decidir como gastar parte do valor da mensalidade. Individualmente, eles também poderão escolher frequentar aulas em faculdades de Economia, Psicologia, Sociologia e Administração. “A educação caminha para a personalização”, diz Daniel Castanho, CEO do grupo Anima. 

A escola de negócios Saint Paul vai incluir em todos os seus cursos a partir do ano que vem um novo tipo de “tutor”. Batizado de Paul, trata-se de um sistema de inteligência artificial que vai auxiliar os alunos e tornar os cursos mais personalizados. “Hoje a inteligência artificial é usada para apontar um caminho, um curso para o seu perfil. Mas nós estamos transferindo os conteúdos de negócios para o sistema, para que ele seja uma metodologia auxiliar”, afirma Adriano Mussa, coordenador acadêmico da Saint Paul. Até o fim de 2018, a meta é ensinar 50% de todas as disciplinas pelo sistema.

Faça o que eu faço. Com duas graduações, duas pós-graduações lato-sensu e um mestrado, Keli de Araújo Rocha diz ter se surpreendido com a abordagem do Master in Business Innovation, da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar). O MBI, que até agora era oferecido apenas em Sorocaba, está em expansão para chegar a Campinas, São Paulo e São Carlos no próximo semestre. “O curso trabalha o lado pessoal, porque a inovação é resultado de indivíduos inovadores”, afirma o coordenador do curso, André Felix Cardoso. Por isso, há aulas de meditação e uma imersão em meio à natureza do Vale do Ribeira.

Experimentar novas metodologias também mudou a rotina profissional de Thiago Barros, gerente de TI de uma rede de livrarias, que cursa MBA em gestão e tecnologia na Fiap. Ele conta que já adotou os modelos de design thinking - forma de abordar e solucionar problemas por meio da compreensão e observação de fenômenos - que aprendeu no curso. “Eu conhecia superficialmente, achava que era só para resolver grandes problemas. Mas percebi que dá para aplicar já, encontrar soluções em questões pequenas também.”

A Fiap utiliza em todos os MBAs a metodologia de design thinking há três anos. “Ela é diferente porque usa a empatia com o cliente. Você tem de se colocar no lugar do outro”, explica Eduardo Endo, diretor acadêmico de MBA da instituição. Além de ter uma disciplina específica, as demais áreas do curso aproveitam o método de trabalho. E até mesmo os gestores da Fiap usam o design thinking nos processos internos. “A gente ensina e faz.”

SERVIÇO

MBA Lumiar

Início: março de 2018

Duração: 400 horas/ 20 meses 

Valor: não informado 

Site: www.lumiar.mba

MBI Gestão Estratégica de Inovação Tecnológica Ufscar

Início: março de 2018

Duração: 20 meses

Valor: Cerca de R$ 40 mil em até 24 parcelas

Site: mbiufscar.com

MBA Executivo Saint Paul

Início: março de 2018

Duração: 642 horas/24 meses 

Valor: R$ 54.545,45 

Site: cursos.saintpaul.com.br/mba

MBA em Gestão de TI Fiap

Início: março de 2018

Duração: 360 horas/12 meses

Valor: 24 parcelas de R$ 1.370

Site: fiap.com.br/mba

 

Mais conteúdo sobre:
Pós-graduação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.