FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Escola inaugura placa em homenagem ao jornalista Ruy Mesquita

Unidade de ensino fundamental 2 mudou de nome em agosto em homenagem ao diretor do 'Estado'

O Estado de S.Paulo

27 Setembro 2017 | 15h32

Foi inaugurada nesta quarta-feira, 27, a placa que dá o nome do jornalista Ruy Mesquita, diretor do Estado até sua morte, em 2013, a uma escola na zona Norte de São Paulo. 

Aberta em 2012 como Escola Estadual Jardim Carombé, a unidade de ensino fundamental 2 (6.º ao 9.º ano) da Vila Brasilândia mudou de nome em decreto do governador Geraldo Alckmin que homenageia o jornalista.

Nesta quinta, em uma cerimônia que contou com a presença do editor de Opinião do jornal, Antonio Carlos Pereira, do secretário de Educação do Estado, José Renato Nalini, e do deputado estadual Celino Cardoso (PSDB), alunos, professores e dirigentes celebraram a nova identidade.

“A nossa escola agora é como um filho órfão que se vê acolhido, pois a partir daí tudo muda. Ganhamos uma família, e família requer proteção, reconhecimento, orgulho, amor e respeito”, declarou o estudante do 9.º ano Diego Vieira da Silva, de 15 anos, que fez um pequeno discurso em nome dos cerca de 1.200 alunos do colégio.

Antes de sua fala, o coral da escola cantou as músicas Aquarela do Brasil e Trem Bala. Alguns estudantes também fizeram um pequeno desfile de moda com roupas doadas na campanha do agasalho, sobre uma passarela montada com páginas de revista.

Pereira, emocionado, lembrou do amigo de mais de 50 anos. “Ele (Ruy Mesquita) tinha duas preocupações básicas: com a juventude e com o bem-estar e o progresso deste País. Na verdade ele tinha uma única preocupação. Porque a juventude é o País. Se ele visse vocês hoje aqui ele estaria muitíssimo orgulhoso. Ele poria a mão no meu ombro e diria: Tonico, nas cosas buenas, buenas están.”

Nalini afirmou que o novo nome da escola já está e deve continuar inspirando as crianças a desenvolverem características que ele definiu como necessárias para os futuros profissionais do País, como criatividade, engenhosidade e empreendedorismo.

“É importante que vocês tenham como patrono da escola uma pessoa que foi pioneira com o Jornal da Tarde, que era um jornal maravilhoso, que o Brasil inteiro acompanhava porque era inovador, moderno, contemporâneo, explorava assuntos que outros jornais não exploravam. O nome do dr. Ruy aqui vai ser um farol para vocês.”

Ruy Mesquita criou e dirigiu o Jornal da Tarde e assumiu a direção de O Estado de S. Paulo em 1996, após a morte do irmão, Julio de Mesquita Neto. Foi também diretor de Opinião do Estado entre 2003 e 2013, quando morreu.

Futuros jornalistas

Desde o início do semestre, quando a escola voltou das férias já com o novo nome, as crianças têm feito pesquisas sobre o dr. Ruy - como era conhecido - nas aulas de Língua Portuguesa.  Eles também vêm planejando a criação de um jornal e um programa de rádio para a escola.

Ao menos dois alunos pegaram gosto pela coisa e já sonham em ser, eles também, jornalistas, como foi Ruy Mesquita. “É meu sonho. Agora, com a mudança do nome, aprendemos que ele foi um dos mais renomados jornalistas”, conta Gabriel Xavier, de 14 anos, do 9.º ano. Ele afirma que não vê a hora de começar o jornal, para poder “fazer matéria de tudo, do que está acontecendo na escola, no bairro, no mundo.”

É o plano também de sua colega Tacielen Rodrigues, de 14 anos, que acredita que o jornalismo pode “abrir portas”. Para ela, a profissão permite saber mais coisas. “Pena que no ano que vem já vamos embora da escola (para o ensino médio). Mas o que estamos aprendendo aqui vamos levar para o resto da nossa vida”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.