ANDRE LESSA/AE
ANDRE LESSA/AE

Enquanto a lista não vem

Dois vestibulandos da Fuvest tentam driblar ansiedade antes da divulgação do resultado

Felipe Mortara, Especial para o Estado,

31 Janeiro 2011 | 23h16

Frio na barriga e unhas roídas são sintomas comuns entre vestibulandos no início do ano. Felipe Freire, de 18 anos, está em Águas da Prata, no interior paulista. Toda vez que olha o paredão atrás da casa onde passa férias sua ansiedade aumenta, pois foi explorando os arredores da região que o estudante escolheu a sua carreira, Geologia na USP.

 

"Sempre gostei de ir a cachoeiras e grutas. Pensei em fazer Música ou Química, mas ficaria muito no laboratório. O ar livre me fez optar por Geologia", diz ele, que concluiu o 3º ano em 2010 e disputa ao lado de 35,7 mil candidatos uma vaga na USP. A lista da Fuvest sai no dia 9. "Acho que tenho chance. O curso tem 14 candidatos por vaga."

 

Mais angustiado ainda, Tiago Trad, de 19, nem quis ver a correção de provas da Fuvest. Ele fez vestibular para Engenharia Química na USP em Lorena - lá são 13 por vaga.

 

"Prefiro evitar expectativa", afirma. No ano passado, ele foi reprovado, fez cursinho e agora está otimista. "Acho que dá pra passar. Tudo vai mudar quando sair a lista."

Mais conteúdo sobre:
Fuvest Vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.