Enem vai usar detectores de metais

Um dos alvos da medida é o aparelho celular; inscrições começam segunda-feira e vão até o dia 23

Bernardo Caram, O Estado de S. Paulo

08 Maio 2014 | 21h37

BRASÍLIA - As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano começam na próxima segunda-feira e vão até o dia 23. Os R$ 35 da inscrição poderão ser pagos até o dia 28. Para esta edição, o Ministério da Educação promete um elevado grau de segurança. Pela primeira vez, o edital prevê que os fiscais de prova poderão usar detectores de metal quando for necessário.

A estimativa é de que sejam usados 18 mil detectores portáteis. Um dos alvos da medida é o aparelho celular, proibido durante as provas. Na edição do ano passado, fotos de algumas questões chegaram ser divulgadas em redes sociais ainda durante a aplicação. O ato foi punido com eliminação.

O ministro da Educação, Henrique Paim, informou que o governo voltará a fazer o monitoramento das redes sociais, mas ressaltou que, por segurança, não pode detalhar os procedimentos. De acordo com o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), José Francisco Soares, já está em funcionamento uma área de segurança na sede da instituição. São 21 salas com três níveis de segurança. As de nível mais elevado têm acesso restrito a poucos servidores, além da proibição de entrar e sair com qualquer tipo de equipamento eletrônico.

Menor desistência. Paim fez um pedido para que os interessados não deixem o cadastro para a última hora. Segundo ele, na última edição, cerca de 2 milhões de pessoas se inscreveram nas 24 horas finais. Para este ano, o Inep espera 8,2 milhões de inscrições, 13,8% a mais que em 2013. Para tentar inibir as desistências, aqueles inscritos que já participaram e faltaram em outras edições vão receber uma mensagem incentivando que compareçam à prova e alertando sobre os custos que a ausência cria para o País.

Os principais faltosos são os inscritos que já se formaram no ensino médio, os que trabalham, os treineiros e aqueles com direito a gratuidade na inscrição por terem renda familiar de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.086) per capita. Em 2013, o índice de desistência foi de quase 30%. "Não temos liberdade de criar restrições ao carente", disse o presidente do Inep, lembrando que o benefício está previsto em lei e não é possível aplicar punições aos ausentes.

As provas, agendadas para as tardes de 8 e 9 de novembro, terão tratamento especial para os sabatistas - pessoas que, por preceito religioso, não exercem atividades entre o pôr do sol de sexta-feira e o de sábado. Nesse caso, as provas terão início às 19 horas (horário de Brasília), exceto para Acre, Roraima, Rondônia e Amazonas, que seguirão horário local.

Redação. Foco de reclamações e questionamentos sobre a forma de avaliação, as redações vão permanecer com o mesmo critério de correção. Cada texto passará por dois corretores, que distribuem os pontos em cinco categorias. No caso de discrepância entre as notas, um terceiro avaliador é escalado. "A correção da redação tem sido aperfeiçoada a cada ano. O monitoramento tem melhorado", disse Soares. Ele ressaltou que, apesar de os critérios serem os mesmos, neste ano existirão novos filtros na avaliação.

Mais conteúdo sobre:
Enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.