Enem 2015 terá 7,7 milhões de participantes

Enem 2015 terá 7,7 milhões de participantes

Inep divulgou balanço após a confirmação das inscrições; total é 11,2% menor do que no ano passado

O Estado de S. Paulo

31 Julho 2015 | 20h55

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 terá 7.746.057 participantes. O dado foi divulgado nesta sexta-feira, 31, pelo Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), que realiza o exame. O número de inscritos é 11,2% menor que o registrado no ano passado.

O número final de inscritos computa as inscrições confirmadas, após o pagamento da taxa de inscrição. Neste ano, a taxa aumentou para R$ 63.

Do total de inscritos, 26% são pagantes e o restante fará o exame com isenção. Apesar da queda geral no número de participantes, essa proporção entre pagantes e isentos continua a mesma que foi registrada em 2014. Concluintes de escola pública são isentos, além de candidatos que declaram ser de baixa renda.

Além do aumento da taxa, o Inep adotou uma regra para inibir faltosos, como revelou o estadao.com.br em maio. Quem for isento e faltar no exame só poderá se inscrever novamente mediante pagamento da inscrição, mesmo que se encaixe no perfil de gratuidade. As duas mudanças influenciaram a queda no número de participantes, segundo o Inep.

As provas serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro. Os portões serão abertos ao meio-dia e fechados às 13h (de Brasília).

A  nota do Enem é usada como critério de acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em 115 instituições públicas. Também é critério para acessar bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni), o Financiamento Estudantil (Fies) ou ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Estudantes maiores de 18 anos podem obter a certificação do ensino médio por meio do Enem. 

Mais conteúdo sobre:
Enem Sisu Fies ProUni

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.