Reprodução
Reprodução

Educação a distância ganha aliado tecnológico fora da internet

Plataforma permite distribuição de conteúdo recebido via satélite para alunos em redes wi-fi

Aline Vieira Costa, Especial para o Estadão.edu,

24 Setembro 2012 | 20h51

As plataformas de ensino a distância podem ganhar novo impulso por meio de uma tecnologia que acaba de entrar no mercado. Batizada de MyClass, a novidade pode ser resumida numa junção do conceito de Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) com a possibilidade de ensino remoto a alunos sem acesso à internet. Isso será possível através de uma plataforma criada para tablets que receberão arquivos de mídia pela rede local wi-fi da universidade - que, por sua vez, receberá o material didático por conexão via satélite. A partir daí os alunos poderão estudar e fazer atividades em casa sem a necessidade de conexão à web.

Na prática, a cada ida à sala de aula o Tablet H2P MyClass vai sincronizar com uma base de dados os objetos de aprendizagem da semana, que são as atividades a serem feitas em casa. O aluno, então, mesmo sem internet, poderá assistir a aulas, esclarecer dúvidas e fazer os exercícios. Tudo será salvo no dispositivo, descarregado na ida seguinte à universidade e encaminhado aos professores e tutores. Nas unidades de ensino que já têm uma plataforma de ensino a distância, tal como o Moodle, é feita uma integração entre as plataformas.

Outra característica do sistema operacional é que o aluno só vai conseguiu usar os recursos do tablet para atividades extracurso, como navegar na internet e entrar em redes sociais, caso esteja em dia com as atividades escolares. O dispotivo também gera um relatório das atividades realizadas, permite que o tablet seja acessado apenas pelo aluno e tem um esquema de segurança contra furtos. “O tablet tem um algoritmo de reconhecimento facial que tira foto do usuário para inibir esse tipo de ação. Caso o tablet seja utilizado por outra pessoa, o IP da máquina é rastreado e, se tiver GPS, será localizado”, explica o presidente da ip.tv, grupo líder no desenvolvimento e integração de soluções digitais em educação, Eduardo Giraldez.

A primeira instituição a testar o Myclass será a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), que assina nesta terça-feira, 25, um convênio com a ip.tv. A partir do convênio a UFMA receberá 120 tablets para criar um protótipo de ensino a distância via MyClass, a ser adotada no segundo semestre de 2013 por cerca de 3 mil alunos. “Temos um problema que é o difícil acesso à internet no interior. A tecnologia também traz a vantagem de ser mais lúdica e sustentável, pois se diminui os gastos com material didático, que, além de às vezes chegar atrasado, é estático”, diz o diretor de Ensino a Distância da UFMA, Othon Bastos Filho.

Nesse primeiro momento do projeto piloto, 50 tablets serão distribuídos para um grupo de professores que será capacitado para construir objetos de aprendizagem para tablets. Outros 50 ficarão com estudantes, que vão experimentar como se movimentar no ambiente MyClass. Os 20 restantes ficarão com o Núcleo de Educação a Distância que vai desenvolver a estratégia pedagógica e o calendário de adoção do projeto. “Os professores precisam utilizar novas tecnologias e nós estamos investindo para quebrar a resistência que ainda existe.”

A expectativa é de que, em até dois anos, cerca de 1 milhão de estudantes utilizem o novo modelo de tablets com a tecnologia MyClass, nascida de uma parceria entre a ip.tv e a H-Buster, uma das maiores no ramo de eletroeletrônicos. Os tablets, que rodam com Android 4.0, tem 520 megabytes de memória e preço base de R$ 499. O custo varia de acordo com o tamanho da encomenda e a configuração dos aparelhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.