Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Diretor fecha prédio da biblioteca do Direito da USP

Magalhães diz ter obedecido ordem da Subprefeitura da Sé; transferência de livros desgastou gestão do atual reitor da USP

Carolina Stanisci, Especial para o Estadão.edu

10 Junho 2010 | 19h39

Depois de meses de polêmicas, foi fechado nesta quinta-feira o prédio anexo da biblioteca da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). O diretor da unidade, Antonio Magalhães Gomes, alegou estar cumprindo ordem da Subprefeitura da Sé, que vistoriou o local e o considerou inadequado para visitação.

 

Segundo Magalhães, estão sendo providenciados laudos técnicos para comprovar a adequação da fiação elétrica, da resistência do piso para suportar o peso dos livros e de normas de segurança anti-incêndio.

 

A transferência dos livros do prédio principal para o anexo na Rua Senador Feijó foi realizada em janeiro pelo atual reitor da USP, João Grandino Rodas, nos últimos dias de sua gestão à frente da São Francisco.

 

A mudança da biblioteca foi considerada temerária por alunos e professores, porque o local não seria adequado para abrigar o acervo. A transferência foi alvo de protestos em ato que reuniu cerca de mil estudantes.

 

Os livros ficaram encaixotados por meses e até foram danificados durante um vazamento. Magalhães espera ver a situação resolvida até agosto.

 

Em comunicado a funcionários, professores e alunos, o diretor afirma ter prorrogado o prazo para devolução dos livros já retirados.

Mais conteúdo sobre:
direito faculdade biblioteca usp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.