Despejada no Ipiranga, São Marcos transfere alunos para câmpus ABC, em reformas

Proprietária de prédios, ordem religiosa diz que universidade não pagou dívida; câmpus Tatuapé já tinha sido desativado em julho

LORENA AMAZONAS, especial para o Estadão.edu,

22 Dezembro 2011 | 19h53

Alunos da Universidade São Marcos foram pegos de surpresa hoje com a notícia de que a faculdade havia sido despejada do prédio onde ficava o câmpus Ipiranga. Cerca de 2 mil alunos serão transferidos para o câmpus do ABC, que está em reforma.

Em férias desde o dia 16, os estudantes ainda não foram avisados oficialmente da situação. “O representante da minha sala tentou entrar em contato com o reitor, mas não teve sucesso. Ainda não sabemos como será nosso futuro”, diz diz Wilson Pereira Júnior, de 26 anos, aluno do 4.º ano de Psicologia.

O motivo do despejo foi o não pagamento de aluguéis atrasados à Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, dona dos três prédios do campus, localizados nas Ruas Clóvis Bueno de Azevedo e Padre Marchetti e na Avenida Nazaré.

Segundo nota de esclarecimento divulgada pela ordem religiosa, “inúmeras foram as oportunidades concedidas pela direção da Congregação para que a São Marcos quitasse seu expressivo débito”.

O reitor da São Marcos, Ernani José de Paula, criticou a decisão da Congregação. Ele disse que a dívida de R$ 3 milhões havia sido renegociada. “Fizemos um acordo e o valor devido caiu para R$ 1,2 milhão, a serem pagos em parcelas de R$ 29 mil por mês. Mas a Justiça nomeou um interventor para cuidar do câmpus do Ipiranga e ele deixou de pagar.”

Em julho deste ano, o campus Tatuapé da São Marcos já tinha sido fechado. Na ocasião, segundo o reitor, cerca de 400 alunos foram transferidos para o Ipiranga. “O câmpus ficava num shopping e o valor do aluguel ficou inviável.”

Apesar do nome, o câmpus ABC fica na Rua Gama Lobo, no próprio Ipiranga, a cerca de 5 quilômetros do complexo desativado. “O prédio do campus ABC é próprio, tem capacidade para até 10 mil pessoas e poderá abrigar todos os alunos do Ipiranga”, garantiu de Paula.

Ainda de acordo com o reitor, o calendário escolar permanece o mesmo e o retorno às aulas continua previsto para meados de fevereiro. “As obras estarão prontas até lá.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.