De olho na 2ª fase da Fuvest

Preparo para prova requer atenção ao ler enunciados e elaboração de dois textos por semana

Felipe Mortara, Estadão.edu

30 Dezembro 2010 | 11h48

O alívio depois de passar pela 1ª fase da Fuvest, no dia 28 de novembro, pode dar a impressão de que o pior já passou. Professores de cursinho, porém, dizem que ainda não é hora de relaxar. Pelo contrário, o vestibulando deve aproveitar os 42 dias até a 2ª fase, que começa no dia 9 de janeiro, para  se debruçar sobre os temas que estudou ao longo do ano.

 

A dica mais importante é lembrar que a nota da 1ª fase não conta mais para a etapa seguinte - é preciso encará-la como uma nova prova. “O aluno deve pensar que tudo começou de novo. Se tem facilidade com a escrita, começará com vantagem”, acredita a coordenadora geral do cursinho Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes.

 

Os especialistas afirmam que o tempo é mais que suficiente para treinar a escrita para as questões dissertativas e para a redação e se colocar a par dos temas da atualidade, contanto que o aluno mantenha o ritmo de estudos e não cometa exageros nas festas de fim de ano. Estudar exames anteriores é fundamental. “Ao resolver os enunciados dos últimos anos, o aluno pode mensurar o que está faltando”, indica Alessandra Venturi, coordenadora geral do Cursinho da Poli.

 

Redação. A professora Maria Aparecida Custódio, do laboratório de redação do Objetivo, indica aos alunos escrever duas  dissertações por semana. Depois, é importante que os textos sejam corrigidos por um professor que conheça os critérios da Fuvest. Pode parecer difícil  escrever tanto, mas ela julga ser o preparo ideal para essa parte da prova.

 

Acompanhar o noticiário também ajuda o vestibulando. Os assuntos do dia a dia auxiliam a elaborar respostas com clareza e também dão ideias de como relacionar todo o conteúdo dado em sala de aula aos temas da atualidade, na hora da redação. “A redação é o que costuma roubar mais tempo de candidatos desavisados”, explica Maria Aparecida.

 

Ter controle do relógio e uma visão geral das perguntas são pontos imprescindíveis para o professor de história Eduardo Duique, do Anglo. “Leia por cima as perguntas, sinta ‘qual é a da prova’. Então, faça um cronograma determinando em que horário pretende estar quando atacar cada bloco de questões.”

 

O coordenador Edmílson Motta, do Etapa, alerta para as mudanças recentes nas provas. “A Fuvest está encontrando seu caminho, depois das últimas alterações. Uma referência boa para sentir o seu novo estilo são as provas antigas da Unicamp”, diz.

 

FRASE

 

"Citar é diferente de explicar. Explicar é diferente de comparar. Comparar é diferente de interpretar. O vestibulando tem que captar o que foi perguntado, nem a mais nem a menos"

Eduardo Duique, professor de história do Anglo

 

Atenção aos enunciados

 

- Todas as questões valem a mesma pontuação. Não perca muito tempo numa complicada, passe para as próximas e depois retorne

- Saiba com precisão o que está sendo pedido no enunciado

- Use os textos complementares, grifando o que parecer mais importante

- Antes de resolver o enunciado, reflita se  a resposta que pensou é aquilo que irá responder

- Se uma questão for muito difícil, a seguinte não necessariamente será. Não subestime nem  superestime a prova

 

Notícias na ponta da língua

 

- Fique atento aos grandes fatos que aconteceram neste ano. Por exemplo: terremoto e cólera no Haiti, Copa na África do Sul, vazamento no Golfo do  México, crescimento da China, novas descobertas de reservas do pré-sal, etc.

 

Para a redação

 

- Faça os enunciados das redações dos últimos anos; estão disponíveis no site www.fuvest.br

- No site, consulte também as redações selecionadas e entenda quais abordagens cativam mais a banca dos corretores

- Não tente encher ‘linguiça' ou rebuscar a resposta, o corretor sabe o que é  esperado do candidato

- Ao passar a limpo, tenha segurança e evite fazer muitas alterações.  Pesquisas mostram que o primeiro raciocínio costuma trazer dados mais corretos da memória

- Capriche na caligrafia e nos números. É um ser humano quem corrige, e não uma máquina

- Não se preocupe com poucas hachuras, os corretores estão acostumados e não descontarão pontos

 

Programe-se

 

- 9/1/2011 - 10 perguntas de português e redação

- 10/01/2011 - 20 questões de todas disciplinas do ensino médio

- 11/01/2011 - 12 perguntas específicas de acordo com a carreira

- Confira no site da Fuvest seu local de prova da 2ª fase, pois pode não ser o mesmo da 1ª

- Calcule o tempo e a distância de sua rota, preveja chegar uma hora antes ao local de exame. Tenha dinheiro extra para um táxi

 

* Dicas de Alberto Nascimento e Eduardo Duique, do Anglo; Alessandra Venturi, do Cursinho da Poli; Edmílson Motta, do Etapa; Célia Passoni e Vera Lúcia da Costa Antunes, do Objetivo

Mais conteúdo sobre:
Fuvest Fuvest 2011 Vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.