Curso de Gestão Pública em Brasília foi o mais procurado no Sisu

Mercadante fez balanço do sistema e disse que desempenho dos candidatos cotistas foi semelhante ao dos alunos inscritos na ampla concorrência

Agência Brasil,

14 Janeiro 2013 | 17h56

O curso de Gestão Pública do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília foi o mais procurado na primeira edição deste ano do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com 12.221 inscritos disputando 45 vagas. Em seguida aparece o curso de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora, com 12.216 inscritos para 127 vagas. Em terceiro lugar ficou o curso de Medicina da Univerisade Federal do Ceará, com 11.825 candidatos para 160 vagas. A primeira chamada de aprovados no Sisu está disponível no site http://sisu.mec.gov.br.

 

Entre as universidades, a mais disputada foi a Federal do Ceará (com 133.923 inscritos para 6.258 vagas), seguida pela Federal do Rio de Janeiro (115.794 inscritos para 4.745 vagas) e a Federal Fluminense (95.247 inscritos para 4.789 vagas).

 

Os alunos aprovados devem providenciar a matrícula entre os dias 18 e 22 deste mês. A segunda chamada será divulgada no próximo dia 28, com matrículas de 1.º a 5 de fevereiro. Ao todo, 1.949.958 candidatos disputaram 129.319 vagas em 3.752 cursos.

 

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), houve crescimento de 11% no número de inscritos em relação ao ano passado, quando o sistema registrou 1.757.399 inscritos. Na primeira edição deste ano do Sisu, participaram 101 instituições públicas de educação superior.

 

"O ensino médio é a prioridade deste ano. Quando não avança no Brasil, como aconteceu no Ideb (índice que mede a qualidade da educação básica), é um indicador de retrocesso," disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Entre as medidas para fazer esta etapa do ensino voltar a crescer, o ministro informou que está previsto o redesenho curricular e o estímulo ao ensino médio em tempo integral.

 

Segundo Mercadante, foi registrada média de 15 inscritos por vagas no Sisu. "Há uma demanda muito maior que a capacidade de oferta. Nós temos um tsunami por educação no Brasil."

 

Cotas

 

Na primeira edição do Sisu com a Lei de Cotas em vigor, o desempenho dos candidatos cotistas foi semelhante ao dos alunos inscritos na ampla concorrência. Em  quadro comparativo divulgado pelo MEC, a nota de corte dos alunos cotistas em Medicina (geral) ficou em 761,67 pontos, enquando a nota de corte da ampla concorrência foi 787,56 pontos. Para Pedagogia, por exemplo, a nota de corte dos cotistas ficou em 591,58, e a da ampla concorrência, 598,08 pontos.

 

Com a reserva progressiva de vagas em quatro anos, a Lei de Cotas destina, este ano, 12,5% do total de vagas do ensino superior vão para estudantes que concluíram o ensino médio na rede pública, alunos com renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, além de garantir o acesso de alunos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. Em 2014, o porcentual de reserva sobe para 25% do total. Em 2015, serão 37,5%, e em 30 de agosto de 2016 completa o prazo para o cumprimento total da lei, com 50% das vagas reservadas.

 

Para Mercadante, o desafio vai ser maior do terceiro para o quarto ano, quando concluirá o acesso de metade dos estudantes por meio das cotas. "Cada vez que aumenta, o topo do ensino público que tem qualidade vai caindo. Nós temos três anos para trabalhar intensamente para garantir que o ensino médio avance."

 

O ministro reiterou a oferta de bolsa assistência, já no início do semestre letivo, aos cotistas. Os estudantes de cursos com duração acima de cinco horas e aprovados por meio de cotas, cuja renda familiar é igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, terão direito a uma auxílio mensal de R$ 400. A manutenção da ajuda, segundo Mercadante, é vinculada ao desempenho do aluno.

 

Os candidatos que não forem selecionados nas duas primeiras convocações ainda terão mais uma chance. Eles podem aderir à lista de espera para concorrer às vagas remanescentes. Para isso, precisa acessar, no site do programa, o boletim do candidato e clicar no ícone que corresponde à confirmação de interesse em participar da lista de espera do Sisu.

 

A participação na lista de espera somente poderá ser feita na primeira opção de inscrição do candidato. O prazo de adesão vai de 28 deste mês a 8 de fevereiro. No dia 18 de fevereiro, ocorrerá a convocação, pelas instituições, dos candidatos da lista de espera.

Mais conteúdo sobre:
Sisu Enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.