IMPA/ divulgação
IMPA/ divulgação

Corpo do matemático Manfredo do Carmo é enterrado no Rio

Pesquisador é responsável pela criação e consolidação do campo da geometria diferencial

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2018 | 14h18

RIO - Foi enterrado nesta terça-feira, 1º, no Cemitério São João Batista, na zona sul, o corpo do matemático Manfredo do Carmo, pesquisador emérito do Instituto de Matemática Pura Aplicada (IMPA), morto na última segunda-feira, dia 30, aos 89 anos. Nascido em Alagoas, Manfredo é responsável pela criação e consolidação do campo da geometria diferencial como área de pesquisa no Brasil. 

Ele foi professor da Universidade de Brasília (UnB) - de onde pediu demissão por causa da repressão no país - pesquisador nos Estados Unidos com a Bolsa Guggenheim e professor visitante da Universidade da Califórnia, em Berkeley. No IMPA, onde entrou oficialmente como pesquisador em 1966, Manfredo construiu uma sólida trajetória, com intensa atividade de ensino e pesquisa. Tornou-se membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e presidiu a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) entre 1971 e 1973. 

+++ Desafios matemáticos: muitos caminhos, um universo de possibilidades

Diretor do IMPA, Marcelo Viana destacou a importância do alagoano para o desenvolvimento da pesquisa matemática no país: "Manfredo é um exemplo para todos nós. Abriu mão de uma carreira muito promissora no exterior para voltar ao Brasil e fundar a escola brasileira de geometria diferencial, uma das mais ativas e exitosas da matemática brasileira. Seus livros inspiraram gerações de estudantes."

+++ O ensino de matemática

Mais informações sobre a vida e a obra do matemático podem ser encontradas na página do IMPA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.