Com racha entre docentes, UnB terá nova assembleia para discutir fim da greve

Orientação do sindicato é que aulas sejam mantidas até nova decisão sobre paralisação

Agência Brasil,

20 Agosto 2012 | 23h54

A Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) marcou uma nova assembleia para sexta-feira, 24, para rediscutir o fim da greve na instituição. Na última sexta-feira, 17, uma assembleia com a participação de cerca de 250 professores decidiu interromper a paralisação, que durava quase três meses. Mas o comando local de greve questionou a validade dessa assembleia e pediu a retomada da greve.

 

Inicialmente, a assembleia que decidiria pelo fim da greve estava marcada para esta terça, 21, mas foi antecipada para a última sexta-feira. O comando de greve local avaliou que a decisão não era válida e pediu que fosse mantida a reunião desta terça. De acordo com Rodrigo Dantas, membro do comando, a realização de uma assembleia só na sexta-feira é "inadmimissível", porque a universidade passaria uma semana "no limbo".

 

O comando local ainda está reunido avaliando essa proposta, mas, segundo Dantas, dificilmente será aceita a data proposta pela ADUnB. Segundo ele, a nova assembleia deverá ser marcada para "o mais rápido possível". "A greve foi encerrada numa assembleia ilegítima e hoje praticamente não teve aula, a universidade está absolutamente esvaziada", disse.

 

De acordo com a ADUnB, não seria possível fazer uma nova assembleia nesta terça porque, pela lei, essas reuniões precisam ser marcadas com um prazo mínimo de antecedência. Como na quarta e quinta-feira haverá eleição para reitor na universidade, a solução foi marcar a nova assembleia para sexta-feira. A orientação do sindicato é que, enquanto não for tomada uma nova decisão sobre a manutenção da greve, as aulas sejam mantidas.

Mais conteúdo sobre:
Greve Ensino superior UnB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.