Isadora Faber
Isadora Faber

Casa da criadora do 'Diário de Classe' é apedrejada em Florianópolis

Avó da garota foi atingida na cabeça; estudante denuncia problemas da escola no Facebook

Estadão.edu,

06 Novembro 2012 | 23h34

A casa da estudante Isadora Faber - criadora do 'Diário de Classe', página do Facebook em que ela relata problemas de sua escola e já tem 353 mil seguidores - foi apedrejada ontem à noite. A avó da garota, de 65 anos, foi atingida na cabeça, de acordo com post feito por Isadora na noite desta terça-feira, 6, na rede social. Segundo a aluna, de 13 anos, sua família tem sido vítima de xenofobia. Os pais dela são gaúchos mas moram em Florianópolis há 17 anos.

 

"Temos casa própria e eu nasci aqui, sou mané (termo utilizado para designar os nativos de Florianópolis) da Carmela Dutra (maternidade da cidade), não iremos sair de nossa casa. Xenofobia é crime e já esta sendo investigado", afirmou Isadora.

 

Ainda nesta terça a blogueira escreveu outro post em que diz ter sido ameaçada por "Seu Francisco", contratado pela direção para pintar a quadra da Escola Básica Maria Tomázia Coelho, onde Isadora estuda. Segundo ela, "Seu Francisco" recebeu o dinheiro mas não prestou o serviço.

 

Disse Isadora: "Seu Francisco e seu outro filho foram na escola para buscar sua filhinha, fizeram o maior escândalo comigo e meu pai, cercaram o carro e ele tava querendo briga com meu pai, dizendo que tinha que calar minha boca, que eu só falava besteiras e que nós tínhamos que sair da cidade pois não somos “nativos”. A garota juntou uma turminha para me bater e ele dizia pro meu pai que podia esperar que ia ver, que ele vai pegar meu pai e que vai acabar conosco" (sic).

 

Revoltada, ela continuou: "Agora, o Seu Francisco, pega o dinheiro adiantado da pintura da quadra, não dá satisfação e não pinta a quadra e ainda se acha no direito de vir me ameaçar e ameaçar o meu pai na saída da escola e ainda se acha com razão. Que justiça é essa? Quem esta errado?" (sic).

 

O pai de Isadora foi à delegacia prestar queixa. "Disseram que agora se eu ou meu pai cair e nos machucar, já sabem quem procurar. É o mínimo que espero da polícia" (sic).

 

A blogueira cobra uma resposta da direção da escola. "Gostaria de saber (...) se vai continuar protegendo quem pegou dinheiro e não fez o serviço e agora vai à escola me ameaçar ou vai tomar as medidas mínimas e prestar queixa contra quem prejudicou a escola" (sic).

Ainda segundo Isadora, ela também é ameaçada pela filha do pintor - que estuda na mesma escola. "A direção vai esperar até quando para tomar providências? Todos os dias acontece (intimidações), já falei com a diretora e nada muda."

 

Isadora diz que empresários da cidade se dispuseram a pagar pela pintura total da quadra, sem custo algum para a escola. "Mas e o dinheiro pago ao seu Francisco? Vamos todos dar de presente para ele o dinheiro dos nossos impostos? A diretora vai tirar do bolso dela?"

 

A reportagem não conseguiu contato com a Secretaria de Educação de Florianópolis depois das 22h30.

Mais conteúdo sobre:
Facebook Isadora Faber

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.