Candidatos avaliam que prova de inglês da Fuvest estava fácil

'Qualquer pessoa que se preparou para a prova foi bem', dizem vestibulandos

Estadão.edu,

27 Novembro 2011 | 19h17

CAMPINAS – O vestibulando Murillo Pellegrini, de 18 anos, tenta a carreira de  Marketing e achou dificil a área de exatas da prova da primeira fase da Fuvest. Já a sua amiga Larissa Aragão, de 19, tenta Engenharia Química e achou dificil a área de humanas. Os dois concordam apenas em um ponto:  inglês estava fácil. "Qualquer pessoa que se preparou para a prova foi bem", analisou.

A candidata Daiane Gomes de Menezes, de 22 anos, tenta Terapia Ocupacional  e também não encontrou dificuldades em inglês.  "Estava fazendo Nutrição e tranquei no começo do ano. Quero mudar de curso e é muito díficil. Na faculdade, não tem, por isso tive que encarar a Fuvest pela primeira vez", contou.

Marina Borges, de 17, candidata à Fármácia, acha que o inglês já faz parte do universo do brasileiro,  por isso há essa familiaridade com a língua no Brasil. "Já é quase uma outra língua por aqui", disse, lembrando que várias expressões estão incorporadas no cotidiano das pessoas. "Não me matei de estudar", afirmou a jovem, que ainda cursa o último ano do ensino médio e sonha com uma vaga. Ela também prestou na Unicamp. "Estou tranquila. Se eu não passar, no ano que vem eu me preparo melhor".

Mais conteúdo sobre:
Fuvest

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.