Leonardo Augusto
Leonardo Augusto

Candidata faz Enem pela 8ª vez para se manter atualizada

Estudante continua fazendo a prova mesmo após ter garantido uma vaga na universidade

Leonardo Augusto, Especial para O Estado de São Paulo, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2017 | 13h10

BELO HORIZONTE — Nem só de interessados em vaga na universidade vive o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A estudante Larissa Cantão, de 23 anos, faz o exame desde 2010 como forma de se manter "atualizada", afirma. Estudante de física na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), e fazendo estágio como professora, Larissa afirma que os oito anos de Enem ajudam inclusive no trabalho. "Eu e meus alunos sempre conversamos sobre o que caiu nas provas", diz.

Larissa faz provas em uma universidade da Região Centro-Sul de Belo Horizonte, mesmo local de Cleber Samuel Luiz, de 24 anos, que vai tentar vaga no curso de ciências da computação. Prestando o Enem pela segunda vez, o estudante vê chances de melhores notas esse ano. Para Cleber, a mudança feita pelo Ministério da Educação, colocando provas da mesma área no mesmo dia, vai ajudar. "Ficou menos pesado. Antes, misturava humanas e exatas. Acredito que, agora, meu resultado será melhor, avaliou".

Depois de tentar a vida no futebol, Diego Augusto Madureira, de 23 anos, faz o Enem pela segunda vez. Pretende cursar educação física. O estudante também aprovou a mudança na sequência de provas. "Tá tudo na mesma área. Fica mais fácil. Antes ficava embaralhado."

Em Minas, o Enem está sendo realizado em 188 dos 853 municípios do estado. O numero é o mesmo número do ano passado. O total de inscritos no estado é de 725.679 estudantes, total 23,4% menor que o verificado no ano passado. O Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), que organiza o Enem, afirma que a redução ocorreu pelo fato de o teste ter deixado de certificar o ensino médio, função que voltou a ser do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.