Canadá quer receber 12 mil alunos do Ciência Sem Fronteiras

Governador-geral do país encontra Dilma e promete a brasileiros ensino de línguas e estágios no setor privado

Agência Brasil

24 Abril 2012 | 22h41

O governo do Canadá anunciou nesta terça-feira que o país receberá 12 mil estudantes brasileiros pelo programa Ciência sem Fronteiras. O país também oferecerá aos estudantes estágios no setor privado, experiência prática em laboratórios e ensino de língua. O anúncio foi feito pelo governador-geral do Canadá, David Johnston, durante reunião com a presidente Dilma Rousseff.

 

“A intenção é que os estudantes não só aprendam a teoria, mas coloquem a mão na massa”, disse Johnston.

O governador-geral do Canadá elogiou o Ciência sem Fronteiras e disse que está especialmente empolgado com as conquistas brasileiras na área social.

 

A presidente Dilma agradeceu a iniciativa canadense e afirmou que nada pode aproximar mais os dois países do que as relações no campo da educação, ciência e tecnologia e inovação.

 

“Sem dúvidas a qualidade das instituições acadêmicas do Canadá e as relações com as entidades acadêmicas e os estágios empresariais vão fazer diferença para os estudantes brasileiros no Ciência sem Fronteiras”, disse.

 

Dilma ainda falou sobre a importância do apoio do Canadá em outro programa brasileiro, batizado de Mulheres Mil, para a capacitação de mulheres.

 

O programa Ciência sem Fronteiras tem a meta de enviar 100 mil pesquisadores brasileiros para o exterior até 2014. O governo promete custear 75 mil bolsas e espera que a iniciativa privada viabilize outras 25 mil.

 

Também participaram da reunião entre Dilma e David Johnston os ministros da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp, da Educação, Aloizio Mercadante, e o ministro interino de Relações Exteriores, Rui Nogueira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.