Campanha busca soluções tecnológicas para melhoria de vida das mulheres

Inscrições para o Inovação para Elas termina nesta quarta-feira, 15

Vagner Alencar, do Porvir,

15 Agosto 2012 | 11h53

A empreendedora portuguesa Sonia Silva Santos quer criar uma plataforma virtual para que mulheres de seu país aprendam, através de vídeos e workshops on-line, temas sobre educação, culinária e saúde. Já no Brasil, Ronaldo Gonçalves de Oliveira propõe um projeto para gerar renda para mulheres de comunidades vulneráveis do Rio de Janeiro. Usando a tecnologia, ele quer identificar a quantidade de óleo lançada diariamente nas redes de esgoto para depois coletá-lo e reaproveitá-lo para a fabricação de sabão.

Essas são duas soluções entre as mais de 300 ideias propostas por pessoas do mundo inteiro no desafio Inovação para Elas: Tecnologia para transformar realidades, que recebe, até amanhã (15/08), inscrições de soluções que melhorem a vida das mulheres através da tecnologia. A iniciativa é realizada em uma parceria entre Intel Corporation e Changemakers, da Ashoka, plataforma que conecta empreendedores sociais do mundo todo através de desafios on-line.

Os projetos inscritos vêm de diferente países como China, Moçambique, Nigéria, Butão e Argentina, e podem ser bastante distintos, desde uma ferramenta de ensino baseado na web ou um serviço via celular que ofereça oportunidades de emprego para as mulheres através de mensagem de texto.

As três melhores soluções serão escolhidas por quatro juízes dos quatro continentes especializados na área. Os vencedores serão apresentados em novembro e vão receber U$S 10 mil cada para realizarem suas ideias. Segundo Michelle Fidelholc, mobilizadora da Ashoka, o que se leva em conta na avaliação do júri é a inovação, o impacto social e sustentabilidade do projeto. “Com estes desafios, nós buscamos iniciativas com potencial para resolver os principais problemas sociais da atualidade. Além disso, os empreendedores têm a oportunidade de se conectarem entre si e ganhar visibilidade com mídia e investidores globais”, afirma.

Praticando a empatia

O último desafio do Changemakers Transformando Escolas Para Ensinar O Que Importa premiou, em junho deste ano, três iniciativas que buscam soluções que ajudam jovens e crianças a aprender e praticar a empatia nas escolas. Um deles foi Deport-es para compartir (Esportes para compartilhar, em tradução livre), que leva a prática de esporte a crianças mexicanas atrelada às 8 metas do milênio.

Fonte: http://porvir.org/porpensar/desafio-mundial-quer-inovacao-para-elas/20120814

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.