Jose Patricio/AE
Jose Patricio/AE

'Cada questão é uma surpresa'

Candidatos do Gmat fazem simulado de nova seção e dão seu veredicto: é muita informação para pouco tempo

Carlos Lordelo, do Estadão.edu,

25 Junho 2012 | 22h40

O economista Carlos Inoue só tinha ouvido falar das mudanças do Gmat até que, semana passada, a pedido do Estadão.edu, resolveu pela primeira vez as questões da nova seção Integrated Reasoning (IR) no simulado oficial do exame. Trinta minutos depois, Carlos fechou a prova e confessou: “Fiquei um pouco perdido.” Das 12 questões, não conseguiu responder a 4. Acertou metade dos outros 8 problemas. Sua média ponderada (scaled score, expressão usada pelo Gmat) foi 3, numa escala de 1 a 8.

“O IR não é difícil, a questão é que você ainda não está adaptado a ele”, disse a Carlos o estudante da Poli-USP Filipe Sena, que ensina matemática na MBA House – cursinho preparatório para o Gmat onde o economista têm aulas desde janeiro.

Carlos concordou. Disse que está começando agora a trabalhar o “tempo de prova”, para “ganhar resistência”. E planeja fazer várias questões de IR nos próximos três meses, prazo ao fim do qual deverá prestar o Gmat. Seu objetivo é cursar doutorado em Administração em Harvard, no MIT ou na Rotman, escola de negócios da Universidade de Toronto.

Acostumado com a prova antiga, o economista não conseguiu diferenciar os tipos de pergunta da nova seção. “Tem quatro grupos de problemas, mas não há um padrão. Eles são muito diferentes entre si”, afirmou. Outra falha identificada por Carlos – que ele pretende corrigir antes da prova real – foi a maneira de atacar os problemas, sobretudo aqueles baseados na análise de informações de diferentes fontes. “Não sabia para o que olhar primeiro. Teve questão que eu nem entendi o que ela pedia.”

O engenheiro civil Leonardo Lobo sentiu as mesmas dificuldades de Carlos, embora já tivesse assistido a duas palestras sobre o IR. “Me confundi na hora de consolidar as informações”, disse Leonardo após seu primeiro simulado com a nova seção. Ele tentou resolver todos os problemas – mas não acertou nenhum, para sua surpresa. “Achei que acertaria um ou dois, mas nem isso. Poxa, eu sou engenheiro”, comentou. “Talvez não tenha tido sangue frio para prestar mais atenção e fazer as questões no meu tempo. Tenho essa coisa de não deixar nada da prova em branco.”

Daqui para a frente, Leonardo planeja resolver questões de IR um dia por semana. Também deve treinar mais o inglês, que ele considera sua principal deficiência. “Não tenho o inglês tão afiado. Isso me prejudicou na hora de interpretar tantas informações.” O engenheiro quer prestar o Gmat em dois meses, em busca de uma vaga no MBA de uma das escolas para as quais vai aplicar, entre elas MIT e Harvard.

O professor Filipe notou que o engenheiro até respondeu corretamente a partes de algumas questões, mas ele só ganharia pontos se acertasse tudo. “Se você se dedicou a analisar o problema, tem de ir até o fim”, afirmou. Para Filipe, embora o IR se pareça em alguns aspectos com a parte quantitativa, existe uma diferença fundamental. “No IR tem muito mais dados do que o necessário para resolver a questão. O desafio ali não é aproveitar tudo, como nos problemas de matemática, mas encontrar as melhores informações”, disse.

A dica do professor é olhar todo o material do problema antes de ler o enunciado. Só depois de obter uma ideia geral o candidato deve ver a questão e voltar aos dados em busca de informações específicas. “Tem de ter foco.”

Confira abaixo o desempenho de cada um dos participantes:

Carlos Inoue. Economista formado pela FEA-USP e mestre em administração pelo Insper. Quer fazer doutorado nos EUA ou no Canadá e diz que ficaria "muito satisfeito" com uma nota 750 no Gmat

Integrated Reasoning

Questões respondidas: 8

Respostas corretas: 4

Scaled score: 3

Verbal

Questões respondidas: 35

Respostas corretas: 29

Scaled score: 36

Quantitative

Questões respondidas: 37

Respostas corretas: 26

Scaled score: 48

Verbal + Quantitative = 690

 

Leonardo Lobo. Formado em Engenharia Civil pela USP São Carlos, ele quer cursar MBA no exterior, de preferência no MIT ou em Harvard. Também vai aplicar para outras quatro escolas. Sua meta é tirar nota 700 no Gmat

Integrated Reasoning

Questões respondidas: 12

Respostas corretas: 0

Scaled score: 1

Verbal

Questões respondidas: 41

Respostas corretas: 23

Scaled score: 27

Quantitative

Questões respondidas: 37

Respostas corretas: 24

Scaled score: 45

Verbal + Quantitative = 600

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.