Divulgação
Divulgação

‘As melhores faculdades são as que ensinam valores como a ética’

David Klatell, professor de Jornalismo da Universidade Columbia, fala ao 'Estado'

Luciana Alvarez, O Estado de S. Paulo

13 Janeiro 2011 | 10h41

Em visita ao Brasil no fim do ano passado para o lançamento do curso de pós-graduação em Jornalismo da Escola Superior de Propaganda e Marketing  (ESPM), o professor David Klatell, da Universidade Columbia, defendeu que o jornalista profissional continuará imprescindível para a sociedade, mesmo com as  novas mídias e formas de divulgação.

 

O jornalista profissional ainda é necessário em uma sociedade onde as pessoas podem se comunicar pelo Twitter?

 

Claro. Quase todas as redes sociais veiculam opiniões, não fatos. Ainda se precisa do jornalista profissional para colocar as coisas em perspectiva. O  jornalismo profissional tem a obrigação de prestar serviço público, melhorar a sociedade. Precisamos dos dois - cidadãos-jornalistas ativos e jornalista  profissionais ativos -, mas há uma grande diferença.

 

As nova mídias mudaram a carreira de jornalismo?

 

É cedo para dizer, mas acho que a resposta é sim. Há dez anos, não havia acesso a tanta informação capaz de ser compreendida pelo público. Hoje, a informação  está em qualquer parte - não é o acesso a informações que os jornalistas controlam. Qualquer pessoa pode entrar online e procurar informações, mas será que  ela consegue entender essa informação, colocá-la em perspectiva, fazer com que tenha sentido? Normalmente, não. E é isso que o jornalista vai continuar a  fazer.

 

E o que uma boa escola de jornalismo deve ensinar? É possível, por exemplo, ensinar ética?

Sim. Pode-se ensinar liderança, serviço público, inovação. São coisas possíveis de serem ensinadas - o que ocorre nas melhores escolas. Na verdade, é só na  faculdade que se pode aprender essas coisas. Não dá para aprender numa redação porque estão todos ocupados com o trabalho diário e ninguém vai te ensinar.

 

A nova geração de jornalistas está preparada para fazer o trabalho que é exigido hoje?

 

Estamos numa época de transição. Acredito que estarão preparados, porque o público demanda informação sobre a cidade em que mora, serviços que precisam e a  educação que seus filhos recebem. O jornalismo é o mecanismo para informá-lo. Acredito que os jornalistas terão de mudar, mas serão capazes de fazer isso. Os  jovens são muito espertos e esforçados.

 

Que conselho daria para um jovem que quer ser jornalista no Brasil?

 

É muito simples: trabalhe ainda mais.

 

QUEM É

 

David Klatell é dirigente do departamento de Estudos Internacionais e professor de Prática Profissional da Escola de Jornalismo da Universidade Columbia, nos EUA, onde foi reitor acadêmico e vice-reitor da Escola de Jornalismo até 2008.

Mais conteúdo sobre:
Jornalismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.