Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Após passar em seis universidades americanas, jovem adianta estudos

Estudante se prepara para o curso de Engenharia Química na Universidade de Minessota

Guilherme Soares Dias, especial para o Estado,

08 Maio 2014 | 18h26

Dois anos de dedicação e preparação renderam a aprovação em seis universidades norte-americanas para o estudante Leonardo Buzzetto, de 18 anos. Ele concluiu o ensino médio em 2013 na Escola Internacional de Alphaville e vai ingressar em Engenharia Química na Universidade de Minnesota - a escolhida entre as instituições em que foi aprovado. As aulas nos Estados Unidos só começam em setembro, mas Leonardo já estuda cálculo e alemão, adiantando lições que terá durante a graduação.

Entre as universidades que ele passou estão as de: Minnesota, Ohio, State University, Iowa State, Arizona State, North Carolina State e Texas-Austin. Leonardo também prestou vestibular para a para a Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), mas desistiu de fazer as segundas fases da prova, pois já estava aprovado em Minessota e queria estudar lá. "Escolhi pela estrutura que oferece, pela bolsa de estudos que me foi concedida e pela excelência acadêmica que a coloca no 4° lugar do ranking americano e no top 50 do ranking mundial de engenharia química", afirma.

O estudante chegou a visitar a universidade no ano passado e conheceu a estrutura que vai abrigá-lo pelos próximos quatro anos. As aulas começam em 1 de setembro e ele embarca para os Estados Unidos no dia 14 de agosto. Uma semana antes do início da graduação, Leonardo vai passar por uma integração oferecida para estudantes estrangeiros.

Os estudante começou a se preparar no segundo ano do ensino médio. Na época, ele iniciou a pesquisa das universidades de interesse, a organizar o histórico escolar e a checar as provas de admissão. "É preciso saber se é isso mesmo o que você quer e se está disposto a viver tanto tempo longe. Depois, é escolher o caminho e se dedicar para isso", diz. O Estadão.edu mostrou a preparação de Leonardo e de outros alunos brasileiros que tentavam ingressar em universidades estrangeiras em outubro do ano passado.

Depois de dois anos de esforços para entrar na faculdade e agora aprovado seria natural que o estudante descansasse, mas Leonardo já se prepara para a graduação. "Terei aulas de alemão como língua estrangeira na faculdade e estou fazendo aulas três vezes por semana para ter nível melhor quando chegar lá. Além disso, estou adiantando algumas matérias de cálculo, que terei no primeiro semestre", conta.

A mudança de país não assusta o estudante. "Sei que vai ser uma grande transformação, mas sempre gostei de ter independência. É uma boa oportunidade de conseguir isso. Não estou com medo, mas estou bem ansioso. Será bem positivo para mim", considera. Depois dos quatro anos de graduação, Leonardo pretende voltar ao Brasil, mas não descarta permanecer nos Estados Unidos. "Meu visto inicial é de cinco anos, mas se conseguir estágio posso ficar mais", pondera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.