Reprodução
Reprodução

Apitaço anti-Enem do Mackenzie promete parar a Rua da Consolação

Organizadores querem reunir mil alunos em protesto contra a substituição do vestibular

Lorena Amazonas, Especial para o Estadão.edu

20 Março 2012 | 18h14

Nesta quarta-feira, 21, alunos do Mackenzie promoverão um apitaço em frente à universidade. Os estudantes não concordam com o novo formato do vestibular da instituição, no qual metade das vagas será oferecida somente a candidatos que participaram do Enem 2011. Os universitários vinculam a medida à "perda do valor do diploma".

Em panfleto, o Centro Acadêmico João Mendes Júnior, da Faculdade de Direito, afirma que o Enem é um "exame desmoralizado por sucessivos escândalos, fraudes e irregularidades" e pede "vestibular sim, Enem não". Para o Diretório Acadêmico da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie (Dafam), "falta democracia" na universidade. 

A concentração para o protesto será em frente à entrada do Mackenzie na Rua da Consolação, às 11 horas, e os organizadores querem mobilizar grande contingente. "Esperamos reunir cerca de mil pessoas", diz Victor Melo Lago, presidente do Dafam. Na ocasião, também serão cobradas medidas em relação a outros problemas, como superlotação de salas e falta de diálogo da direção com os alunos. 

Os candidatos que concorrem a vagas de Arquitetura e Urbanismo e Design, além da nota do Enem, terão de fazer uma prova de habilidade específica. No período de 18 de abril a 21 de maio será divulgado um segundo edital do vestibular de inverno, para o preenchimento de novas vagas, desta vez utilizando o formato convencional do processo seletivo.

Mais conteúdo sobre:
Mackenzie Enem protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.