Alunos protestam na Paulista contra situação ambiental da USP Leste

Segundo a Polícia Militar, 50 pessoas participam do ato; organizadores estimam número maior

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

30 Junho 2014 | 15h27

Atualizada às 19h09

SÃO PAULO - Dezenas de alunos do câmpus Leste da Universidade de São Paulo (USP) fizeram um ato na tarde desta segunda-feira, 30, na Avenida Paulista, região central da cidade. O grupo protestou contra a situação ambiental da unidade, interditada pela Justiça desde janeiro.

Os manifestantes chegaram a bloquear duas faixas da Paulista, no sentido Consolação. Eles seguiram para a Praça do Ciclista e encerraram o ato por volta das 17 horas após uma hora de caminhada. De acordo com a Polícia Militar, cerca de 50 pessoas participaram do ato. Os organizadores estimam que pouco mais de 100 manifestantes seguiram na passeata.

Nas faixas, os universitários cobraram soluções da reitoria para a contaminação do câmpus. Eles também reclamaram da postura do governador Geraldo Alckmin (PSDB) em relação aos problemas da universidade. Na Praça do Ciclista, os manifestantes fizeram o enterro simbólico do câmpus contaminado. 

"Falta mais transparência da reitoria e da direção sobre as negociações relacionadas à USP Leste", reclamou Bia Michelli, estudante de pós-graduação da unidade que esteve na marcha. "Até agora estamos sem respostas. Não queremos outro 'plano B' arranjado às pressas, como ocorreu no semestre passado. Nosso objetivo é voltar, mas com os problemas ambientais resolvidos", completou.

A assessoria de imprensa da USP informou que tem tomado todas as medidas cabíveis para a liberação do terreno e que aguarda a decisão da Justiça. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.