Alunos protestam em colégio do ES contra escola de tempo integral

Estudantes pedem que governo não mude o projeto educacional da escola, que oferece disciplinas técnicas

LUCIANA ALMEIDA, Especial para O Estado

11 Dezembro 2015 | 22h25

VITÓRIA - Um grupo de aproximadamente 30 alunos da Escola Estadual Conde de Linhares, em Colatina, região Noroeste do Espírito Santo, realiza, desde a última quinta-feira, uma manifestação dentro da escola, contra a implantação do projeto Escola Viva, um novo modelo de educação integral nas escolas estaduais.

Pela nova proposta, alunos teriam, além das disciplinas tradicionais, metodologias sobre as dimensões pessoal, social e produtiva da vida do estudante, além de aulas de teatro, música, dança, cinema, robótica, astronomia, entre outras.

A manifestação teve início na tarde de quinta-feira, e até o final da tarde de sexta, não havia terminado. Muitos dos alunos chegaram dormir na escola, mas as aulas em todos os turnos não foram suspensas. 

Um dos estudantes que participou do protesto, Caio Guilherme Januth Oliveira, de 17 anos, contou que atualmente a escola oferece ensino médio e técnico, e que os alunos escolheram a unidade justamente pela chance de já saírem de lá com uma formação profissional.

 

"Estamos pedindo que o governo não mude o projeto educacional de nossa escola. O nosso projeto já é técnico e a escola está preparada para receber esses cursos. Tivemos informações de que o programa Escola Viva será implantado aqui, e não temos interesse nisso", contou. 

Ainda segundo ele, outros alunos temem que, com a educação integral, muitos alunos que trabalham parte do dia, ou até mesmo o dia inteiro, para aqueles que estudam no período noturno, precisem parar de trabalhar. "E aí, como fica o sustento da família? Prejudicado?", questionou.

 

Em nota, a Superintendência Regional de Educação de Colatina/ES informou, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Sedu), que "as atividades da Escola Estadual Conde de Linhares estão sendo realizadas normalmente e que há apenas um grupo de estudantes no pátio da escola que não está frequentado as aulas. 

A Superintendência informou também que a equipe pedagógica está em constante diálogo com os estudantes e que não há definição sobre a implementação do Programa de Ensino Médio em Turno Único na instituição.

 

Mais conteúdo sobre:
VITÓRIA Espírito Santo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.