Alunos da Uninove protestam contra reprovação coletiva

Eles alegam que universidade deixou de aplicar programa de recuperação

Monique Abrantes, do Jornal da Tarde,

08 Agosto 2012 | 00h08

SÃO PAULO - Alunos de vários cursos da Universidade Nove de Julho (Uninove) protestaram nesta terça-feira, 7, em frente ao câmpus Vergueiro, na zona sul, contra a reprovação coletiva promovida pela instituição. Estudantes do 7.º semestre dos cursos de Engenharia de Produção, Ciências Contábeis, Direito e Farmácia alegam que não conseguem renovar as matrículas porque a universidade deixou de aplicar o Programa de Recuperação de Alunos, usado quando o estudante não atinge a nota mínima.

 

Muitos temem perder a bolsa de estudo ou atrasar o fim do curso. As aulas da instituição recomeçaram no dia 2. De acordo com a estudante Danielly de Vasconcelos Torres, houve uma mudança interna no método de avaliação sem aviso prévio. “Temos garantido em contrato o Programa de Recuperação de Alunos. Apesar disso, a Uninove decidiu cancelá-lo”, diz a aluna.

 

No curso de Direito, por exemplo, cerca de 1.400 alunos foram prejudicados pela medida. Alguns conseguiram reverter a situação porque entraram com uma ação na Justiça. “O que queremos é que a universidade nos dê a condição de fazer o Programa de Recuperação de Alunos sem reprovar o aluno direto”, reivindicava Gledson Maia, do 8.º semestre de Direito.

 

Além do medo de perder o semestre, muitos estudantes também correm o risco de perder o estágio, a bolsa de estudo ou o financiamento estudantil, como é o caso do aluno de Direito Robson Jorge Eugênio. “A Uninove simplesmente cancelou a nossa matrícula. Se eu não conseguir resolver a situação, vou perder o estágio e o financiamento estudantil.”

 

A falta de posicionamento da reitoria da universidade deixou os alunos ainda mais insatisfeitos com a situação. Segundo a estudante Edna Alves, do 8.º semestre de Engenharia de Produção, a coordenação dos cursos afirma que a decisão foi tomada pela reitoria da instituição. “Mas quando entramos em contato com eles, não temos retorno sobre o porquê dessa situação.”

 

Não é a primeira vez que alunos enfrentam esse tipo de problema. No semestre passado, a estudante Ana Carolina Costa Silva teve dificuldade para renovar a matrícula pelo mesmo motivo.

 

A reportagem procurou a assessoria da Uninove, mas até o fechamento desta edição não obteve respostas sobre o que será feito para solucionar o problema.

Mais conteúdo sobre:
Uninove Ensino superior

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.