Aluno de Ourinhos vence a Olimpíada de Atualidades

Três primeiros colocados podem escolher ganhar uma temporada de estudos em Londres, um carro, ou uma bolsa de um salário mínimo durante os quatro anos na universidade

Sergio Pompeu,

27 Outubro 2009 | 02h39

André Andrade Santos, de 17 anos, talvez não preste o vestibular este ano. Pretende embarcar para Londres em dezembro, para três meses de estudo de inglês. A bolsa foi o prêmio escolhido por André como vencedor da Olimpíada de Atualidades, competição criada pela Facamp da qual participaram quase 20 mil estudantes de cinco Estados. Aluno de um colégio da rede Anglo de Ourinhos (SP), André recebeu a premiação ontem, em um grande evento no Museu da Casa Brasileira, zona sul de São Paulo, no qual a faculdade de Campinas também comemorou seus dez anos de criação e o lançamento dos cinco primeiros livros da sua editora, a Edições Facamp.   Veja mais:   Faça a prova da primeira fase   Veja o gabarito comentado   Faça a prova da segunda fase   Veja o gabarito comentado   Destinada a alunos do 3º ano do ensino médio e de cursinhos, a Olimpíada de Atualidades abriu as inscrições em maio. Teve três fases, a primeira online e outras duas presenciais. Na etapa inicial, em junho, os candidatos responderam pela web a 50 testes de múltipla escolha de história e geografia. A segunda, em agosto, foi bem mais abrangente: teve 60 testes de conhecimentos gerais. Em setembro, na final, 339 alunos fizeram na sede da Facamp uma prova dissertativa com dez questões e uma redação, sobre o pré-sal.   "Você tinha Olimpíadas nas áreas de Exatas ou Biológicas, mas não havia nenhuma de Ciências Humanas. Então nós inventamos esta", diz João Manuel Cardoso de Mello, que antes de virar sócio da Facamp ajudou  a transformar outra instituição de Campinas, a Unicamp, em polo do pensamento econômico do País. "Nosso objetivo era, primeiro, ajudar na preparação dos vestibulandos para os exames, porque têm caído crescentemente perguntas de atualidades; segundo, estimular que os temas de atualidades sejam discutidos nos colégios; e terceiro, mais abstratamente, tentar aproximar os conteúdos do ensino médio do conteúdo das universidades."   Para estimular a participação dos estudantes, a faculdade ofereceu aos três primeiros colocados a possibilidade de escolher entre a temporada para estudar três meses em Londres, um carro e uma bolsa-universidade, que pagará 1 salário mínimo mensal durante quatro anos depois que o vencedor entrar na universidade. O carro ficou com a 2ª colocada, Paula Beatriz Milan, de São Paulo, e a bolsa-universidade, com Lívia  Martins, de Alfenas (MG).   "Quando chegou o folheto da olimpíada na escola, me interessei de cara", contou André ontem, de piercing na orelha, terno e gravata, bem à vontade na festa, por onde passaram o governador José Serra, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o prefeito Gilberto Kassab, entre outros. "Comprei um caderno, fiz uma separação por grandes temas e subtemas e comecei a estudar. Em Brasil, por exemplo, estudei História, evolução e situação atual da economia brasileira, pré-sal e até os escândalos políticos."   André tem jornalistas na família e até já trabalhou no jornal de uma tia, em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), mas foi no 1º ano do ensino médio que começou a prestar mais atenção em temas de atualidades, estimulado, principalmente, pelos professores de geografia da escola. A olimpíada foi mais um empurrão. "Estudei bastante por jornais, revistas e pela internet, até em sites internacionais."   E qual foi o saldo desse mergulho no que acontece no mundo? "Tenho mais senso crítico, consigo entender melhor como as coisas acontecem", diz o estudante, que pretende cursar Relações Internacionais. "Também mudei  minha visão sobre o Brasil. Eu reclamava muito da política brasileira e agora compreendo melhor  os impases para implantar as coisas, como é difícil você mexer com política. Não é só você ser eleito e dizer que vai fazer tal coisa. Tem que mexer com muita gente."   André teve média 8,6 na competição. "Li pelo menos umas 250 provas da última fase e os candidatos eram excelentes. O exame foi extremamente difícil", diz João Manuel. Em 2009, a Facamp fará a 2ª edição da Olimpíada de Atualidades. Pretende ampliar a abrangência geográfica da prova, realizada este ano  em São Paulo, parte de Minas e do Paraná, Goiânia e Campo Grande. "Vamos ampliar, mas com muito cuidado, para ter controle absoluto sobre essas coisas, senão não dá certo." A preocupação principal é com a logística, o sigilo e o controle das inscrições. "Como os prêmios eram bons, teve uns três ou quatro espertalhões que estão cursando faculdade e tentaram se inscrever. Mas nós pegamos", diz João Manuel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.