Juliane Freitas/Estadão
Juliane Freitas/Estadão

A melhor escola de MBA pode não ser a certa

Procura pelo curso mais adequado ao perfil e aos interesses futuros do aluno farão diferença na hora de estudar fora do País

Juliane Freitas, O Estado de S. Paulo

25 Março 2015 | 20h37

O processo de escolha de um curso de MBA fora do País é minucioso. Exige do candidato um vasto período de pesquisa e ponderações. Na maioria das vezes, é preciso que toda essa investigação resulte num lista de escolas de interesse, pois ser admitido na instituição preferida é incerto e é preciso ter opções.

Para conhecer melhor as escolas internacionais, há quem prefira se desdobrar e visitar cada uma delas. Mais acessível, no entanto, é buscar informações em feiras e eventos para futuros alunos de MBA. É uma boa opção para conversar com as instituições e entender o que é preciso para ingressar em seu corpo discente.

André Chappellano, de 28 anos, está começando o processo de sondagem para escolher um curso de MBA. Pós-graduado em Engenharia Automotiva, se queixa de não conseguir crescer na carreira e tenta sair da área técnica por meio de um curso focado em gestão fora do País. Em busca de possibilidades, visitou o evento promovido pelo Access MBA, no início do mês, em São Paulo.

"Vim para conhecer as escolas de negócios e achei interessante principalmente uma holandesa. Mas minha vontade mesmo é voltar a morar em Vancouver, no Canadá”, conta o engenheiro sobre sua primeira impressão.

Visitar um evento como esse não garante a admissão numa universidade, tampouco o encontro perfeito com seus interesses, mas é útil para conhecer possibilidades ainda não imaginadas e tirar dúvidas com os agentes escolares

"Uma das perguntas mais frequentes é sobre a forma de financiamento e como se manter em outro país”, conta Christian de Lamboy, representante do escritório em São Paulo da Frankfurt School of Finance & Management, na Alemanha. “O candidato tem a oportunidade de saber, por exemplo, que há formas de trabalhar na Alemanha mesmo depois de terminar o curso."

Outro tópico que entra em pauta são os conhecimentos em inglês, imprescindível em qualquer escola internacional de negócios. Esse ponto chave pode ser testado no próprio encontro com com a escola nesses eventos, já que muitos representantes vêm de fora do País para conhecer alunos em potencial no Brasil e não falam português.

A dedicação para encontrar a escola certa será recompensada. Mais do que se preparar para fazer uma boa entrevista e trabalhar para deixar o currículo redondo, é preciso ter em mente que a melhor escola do mundo pode não se encaixar no seu perfil. Pelo menos é o que acredita o diretor executivo do programa global de EMBA da IESE Business School da Universidade de Navarra, John Healy.

"Sempre perguntamos por que o candidato quer estudar conosco e queremos ajudá-lo a encontrar o melhor para ele. Não somos a escola certa para todos e nem todos os alunos são certos para nós", afirma.

Uma dica importante do especialista para achar o curso perfeito é ter em mente o que se espera dele e do futuro depois do MBA, e apostar todas as fichas nesse objetivo.

Mais conteúdo sobre:
MBA cursos de MBA educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.