O olhar dos pais

O olhar dos pais

Colégio Vital Brazil

11 Outubro 2017 | 12h07

Por que a participação dos pais na vida escolar dos filhos é essencial até para que eles se tornem autônomos.

A qualquer hora do dia, uma mãe ou um pai de aluno do Vital Brazil podem verificar, em questão de segundos, se algo fora do normal ocorreu na rotina escolar do filho. Se o aluno esqueceu o livro; se entrou atrasado em alguma aula; se foi chamado à Coordenação; se precisou ir ao ambulatório; tudo está registrado em um sistema on-line a que só os pais têm acesso mediante senha exclusiva da família.

Também estão ali, diariamente, as lições de casa pedidas, os prazos de entrega, as provas agendadas e os capítulos de livros para estudo. O propósito do sistema, batizado de Vitalnet e acessível via site do Colégio, não é que os pais comandem a rotina do filho – até porque, a partir de certa idade, que coincide com o início do Fundamental II, é saudável que o aluno comece a assumir mais responsabilidades sobre seus deveres de estudante. No entanto, segundo o coordenador pedagógico do Fundamental II do Vital, há uma justa medida, nesse movimento de independência dos filhos em relação aos pais, que nem sempre é clara, nem é universal para todas as famílias, variando de caso a caso. “Não se deve confundir autonomia do aluno com falta de participação dos pais”, diz Roberto Leal. “Estar a par do que acontece com o filho na escola e intervir quando necessário faz muita diferença para o desenvolvimento acadêmico, social e emocional dele”.


“Sempre incentivo os pais a acompanhar a vida escolar do filho, ver seus cadernos, checar se ele respeita os horários de estudos”, diz Maria Cristina Campos, coordenadora assistente do Fundamental II. “Se os pais demonstram interesse, o filho sente e busca corresponder à expectativa. O acompanhamento revela o valor que a família dá ao conhecimento”. Nesse sentido, explica Maria Cristina, a atitude não pode ser a de “largar a mão porque agora é hora do aluno se virar”: “Ele só vai ser autônomo se sentir o olhar dos pais lhe passando segurança”.

Mas não é apenas pela internet e em casa que as famílias contribuem para a educação dos filhos. Encontros presenciais entre coordenadores, professores e pais também são importantes, diz Roberto Leal, citando os espaços de interação e diálogo que o Vital disponibiliza para as famílias. Como lembra o coordenador, além da reunião de início de ano com todos os pais, para apresentação da proposta e alinhamento de expectativas, há a reunião trimestral, que cada família pode agendar por conta própria com os professores do seu interesse, pelo site do Colégio. “É uma forma muito ágil de prover um atendimento individualizado; os pais entram no site, veem os horários disponíveis e marcam. O professor estará lá na sala, esperando por eles”. O mais importante, porém, ressalta Roberto, é que “estaremos sempre abertos; não tenham cerimônias de ligar, mandar e-mail ou marcar novas reuniões conosco”.

Os maiores parceiros

A advogada Neila Bussaf é, sem dúvida, uma mãe participativa. Seu filho mais novo, José Henrique Bussaf Malta, aluno do 7º ano do Fundamental, estuda à tarde no Vital. À noite ou pela manhã, ela costuma ajudá-lo com as lições e os estudos. Se é dia de Inglês ou Espanhol, ela prepara um vocabulário para ele exercitar palavras novas. Se há leitura de capítulos de livros, ela pode ler junto, ajudando-o a montar um resumo. Até da leitura dos paradidáticos Neila participa: “O que ele lê, eu leio também”, diz. Neila garante, porém, que não faz tudo por José Henrique. “Ele tem de anotar na agenda. Ele tem de arrumar os materiais da escola. Eu até pergunto: anotou? arrumou? Mas é mais como uma sineta para ele lembrar; se ainda não fez, ele vai fazer”.

Eventualmente, Neila sente que precisa intervir pelo filho junto ao Colégio sobre alguma questão. O que já fez, mais de uma vez – e em todas encontrou as portas abertas para o diálogo. “Posso até não ser atendida em todos os meus pleitos, mas sei que serei ouvida”, diz a advogada.

Maria Cristina Campos, por sua vez, ressalta a vantagem que uma escola tem de contar com mães como Neila. “Ela nunca deixa de nos fazer críticas construtivas quando algo a incomoda”, diz a coordenadora assistente. “E nós sempre buscamos entender a fundo o que está acontecendo. É positivo ter um olhar de fora do processo; às vezes, a família traz informações de casa que desconhecíamos e que explicam algum problema de rendimento ou de comportamento do aluno. E às vezes os pais reveem seus conceitos, entendem a posição da escola e nos ajudam a convencer o filho de que o que fazemos é pelo bem dele. Eles se tornam nossos maiores parceiros”.

É o caso de Neila. A mesma segurança com que fala dos questionamentos que já fez ao Colégio transparece quando fala de sua admiração pela estrutura e equipe: “O Vital funciona como uma empresa: é muito bem organizado, estruturado, moderno. Mas o lado humano existe! Todos conhecem José Henrique não só pelo nome, mas pelas suas características, seu comportamento. Aqui, meu filho não é só um número”.

Raio-X do Ensino Fundamental II

Equipe

Roberto Leal, coord. pedagógico: engenheiro com Formação Pedagógica, mestrado em Ciências e pós-graduação em Gestão Escolar. Maria Cristina Campos, coord. assistente: psicóloga especializada em Psicopedagogia e em Gestão Escolar. Simone Rocha, auxiliar de coordenação: pedagoga. 18 professores especialistas: 39% têm pós-graduação lato sensu; 44% têm mestrado. 2 estagiários: 1 de Natação e 1 pedagoga, pós-graduanda em Psicopedagogia. 4 corretores externos de Redação.

Currículo diferenciado (turno) e programas de apoio (contraturno)

Espanhol na grade regular. Programa Especial de Estudos (PEE): para alunos com dificuldade em Matemática, Português ou Produção de Texto. Oficina de Redação: para alunos com boa produção exercitarem ainda mais sua aptidão. Olimpíadas Acadêmicas: programas preparatórios para Olimpíadas de Matemática, Física, Química. Equipe de treino de Natação.

Infraestrutura

Todas as salas com recursos multimídia. Wi-fi exclusivo do ciclo e estação itinerante, com 40 iPads para projetos de inovação. Laboratório de Ciências/Química. Laboratório de Biologia/Física. Piscina semiolímpica (25 m) coberta e aquecida. Estúdio de Artes. Salas de Inglês exclusivas (a partir do 6º ano, programa de Inglês com Coordenação à parte, estruturado em estágios semestrais e com turmas organizadas por desempenho).