Argumentar, negociar, fazer escolhas

Argumentar, negociar, fazer escolhas

Colégio Vital Brazil

30 Maio 2016 | 18h19

Em um mundo em que fazer escolhas, tomar decisões e prever resultados é essencial, os conflitos e as controvérsias que perpassam essas situações são inevitáveis. Negociar por meio da argumentação, portanto, faz parte da rotina das pessoas.

Nesse sentido, o cotidiano da sala de aula é um contexto propício para inúmeras possibilidades de negociação. Uma das formas de negociar pode se estabelecer nas discussões sobre os mais variados temas. Para que a construção dos argumentos pela criança possa se constituir, é preciso que haja intencionalidade pedagógica do professor em qualquer que seja a área do conhecimento. A mediação oferecida por ele é o diferencial para a construção de sentidos e significados compartilhados pela turma na produção de conhecimento.

Uma das formas de se criar bases para argumentar pode ser estabelecida pelas boas perguntas, que se diferem das perguntas rotineiras por trazerem compreensão. A partir delas, os envolvidos na interação vão expondo suas ideias, expandindo-as, modificando os conceitos discutidos, permitindo a negociação e o compartilhamento de novos significados. O diálogo precisa ser mediado de forma que se crie um elo condutor, mas que também oportunize opiniões contrárias justificadas. Contudo, para que a criança possa criar formas para justificar, precisa ser repertoriada com assuntos de textos oriundos das mais variadas fontes.

roda de jornal vital brazil

No Colégio Vital Brazil, a “roda de jornal” tem sido um recurso didático estratégico importante na formação desse repertório. Além de viabilizar ao aluno competência leitora com gêneros jornalísticos e de prover conteúdo para fundamentação oral e escrita, a atividade favorece a noção de pertencimento, pois ao discutir os assuntos que permeiam a realidade, a criança consegue sentir-se parte dela.

Vale ressaltar que ao envolver um grupo de alunos em uma discussão, o professor cria possibilidades de consideração de vários pontos de vista. Assim, também é exercido o respeito pelo momento de ouvir o outro e de exigir o mesmo respeito pela sua própria vez. É dada ainda às crianças a oportunidade de percepção de que as opiniões vão sendo discutidas e modificadas, atendendo às necessidades do momento e criando conhecimentos provisórios que irão se expandir à medida que novas informações e diálogos acontecem.

Com esse trabalho, espera-se que o aluno seja capaz de ler, analisar, compreender, questionar, interpretar e discutir com seus pares, repertoriando sua argumentação e favorecendo o desenvolvimento do senso crítico. Um repertório de leituras e discussões pode transcender a esfera escolar quando possibilita experiências para serem usadas como suporte no momento de fazer escolhas em situações usuais.

roda de jornal vital brazil 2

Em longo prazo, esse trabalho tem o potencial de ir além das discussões e da interpretação de fatos, e possibilitar uma formação mais humana, pressupondo o envolvimento dos participantes com as questões socioculturais, inerentes à formação cidadã.

Teresa D’Angelo

Coordenadora da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I.

0 Comentários