Alunos e professoras da Stance participam de evento transdisciplinar na PUC-SP

Alunos e professoras da Stance participam de evento transdisciplinar na PUC-SP

Stance

21 Novembro 2017 | 14h59

No sábado, dia 11 de novembro, alunos e professoras da Stance Dual participaram do último encontro do ano do Projeto Digit-M-Ed na PUC-SP. Esse encontro acontece uma vez por mês e reúne professores e alunos, surdos e ouvintes, de escolas públicas e particulares de Ensino Fundamental, Médio e Superior.

Digit-M-Ed é um projeto internacional de pesquisa sobre dimensões sociais, culturais e educacionais que discute os mais variados temas contemporâneos, como sustentabilidade ambiental e corrupção na esfera política. A cada encontro, duas ou três instituições propõem atividades para todos os participantes.

Nesta última edição, foi a vez de professoras e alunos da Stance apresentarem as intervenções feitas na escola com alunos de 5º a 9º ano para refletir sobre a pressão exercida pela indústria da beleza na sociedade, em especial sobre as mulheres. Além de mostrar os resultados da pesquisa desenvolvida e de realizar atividades lúdicas, os alunos também propuseram um circuito de tarefas didáticas para discutir o tema de forma crítica.

Nesse âmbito, foram apresentados conteúdos dos currículos de Língua Portuguesa e Língua Inglesa, especificamente: uso do imperativo em textos de autoajuda; produção de slogans para anúncios publicitários; conjunções em orações condicionais e concessivas; e formação e uso de comparativos dos adjetivos em inglês.

Entusiasmados com a proposta, todos os participantes produziram slogans para promover a autoestima e trocaram elogios sem fazer menção a estereótipos de beleza.

Ao final do evento, nossos alunos estavam contentes e orgulhosos de sua participação, já que puderam dialogar de forma crítica com jovens de diferentes realidades que trazem outros pontos de vista sobre temas importantes para eles na adolescência. Além disso, também puderam ser protagonistas de um projeto que ultrapassa os muros da escola e possibilita o exercício real da tolerância, do respeito e da responsabilidade ao exigir posicionamentos diante de questões cuja melhor saída nem sempre é evidente.