Você comeria no Bandejão? (parte 1)

Estadão

06 Outubro 2010 | 11h22

Algumas pessoas me perguntam se eu como no Bandejão da USP com o mesmo ar que perguntariam se eu teria coragem de comer olhos de cabra caso participasse daquele programa da TV Globo, o “No Limite”.

É impossível não se lembrar do Bandejão quando se pensa em USP. Também é fato que esse lugar desperta certa curiosidade diante dos mitos que se criaram em torno dele: quando ainda estava no colegial, ouvi um universitário falar que ele e seus amigos encontraram um “mamilo” de vaca entre as carnes que estavam sendo servidas.

Outro dia, no cursinho, ouvi que na pele do frango poderiam ser encontrados vestígios de penas. Ao receber, já na USP, o “Manual dos Bixos”, li que no Bandejão me depararia com “carne fantasia”, “salada de grama”, “suco de amarelo” e gelatina “verde detergente”. Diante disso, vejo a necessidade de dar alguns esclarecimentos para desmistificar o Bandejão.

O nome “Bandejão” não é verdadeiro. Os nomes originais dos três bandejões principais da USP são: “Restaurante Central”, “Restaurante das Químicas” e “Restaurante da Física” – mas, convenhamos, são nomes sem graça e não trazem um ar muito frenético desse ambiente que forma, muitas vezes, filas quilométricas.


O nome é inspirado naquelas grandes bandejas de metal com divisórias (sim, as mesmas que você encontra no Exército e nas prisões). Porém, hoje, não são elas que aparecem em todos os restaurantes da USP. Há também a opção pelo uso de pratos de vidro.

Outro elemento que chama a atenção é a bilheteria: trata-se de um lugar completamente misterioso, com um vidro completamente coberto por insulfilm e há uma pequena fresta por onde entra o dinheiro e saem os tíquetes.

Por falar em dinheiro, o valor do tíquete é o que mais chama a atenção. As refeições, tanto almoço como jantar, custam R$ 1,90, e o café da manhã, apenas R$ 0,60 – para se ter uma ideia, a máquina de expresso da ECA cobra R$ 0,75 pelo café.

O café da manhã do Bandejão inclui pão francês, um pacote de manteiga, uma bebida (café puro, café com leite ou chocolate quente) e uma fruta da época (banana, maçã, caqui, melão, melancia ou mamão). É interessante que cada item contém uma plaquinha com as informações nutricionais do número de calorias por porção.

Após essa introdução, na próxima semana descreverei um pouco mais o ambiente do Bandejão. Não espere que eu diga se a comida é boa ou não, porque paladar não se discute. Apenas tentarei mostrar um pouco mais a realidade para que você não pense que encontrará frango com penas ou mamilos de animais perdidos quando entrar lá.

Leandro é aluno do 1º de Jornalismo da ECA-USP

Mais conteúdo sobre:

BandejãoUSP