Tempo e o tamanho da cidade

Estadão

13 Julho 2011 | 12h38

Eu gosto muito de viver em São Paulo, uma  cidade cosmopolita onde é possível encontrar todo tipo de comida, e vive inundada em cultura, mas ir fazer qualquer uma dessas coisas leva um tempo absurdo!! A locomoção na cidade é lenta e você sempre perde horas do seu dia, o que tira parte dos prazer dessas atividades.

Agora estou vivendo em Rochester, uma cidade que tem menos habitantes que meu bairro (a cidade tem uns 200 mil habitantes, com o subúrbio no máximo 1 milhão), e estou bem impressionado com as diferenças. Aqui temos atividades culturais semanalmente, mas somente porque é verão! No inverno todos ficam em casa por causa do frio, acho um pouco triste, mas o tempo máximo que levo entre onde estou para o laboratório leva uns 30 min, contra 2h em São Paulo.

Isso tem me deixado tempo para estudar mais e correr e cozinhar, atividade que em São Paulo eu sinto cada vez mais falta. Para ser um bom cientista é necessário que você saiba tudo o que acontece na comunidade cientifica, então ler os novos trabalhos é essencial. Algo que em São Paulo se torna uma tarefa cada vez mais complicada de se fazer devido ao tempo necessário para chegar e voltar do laboratório.

Isso talvez colabore para a falta de grandes cientistas no Brasil, o lugar onde mais se investe em pesquisa no Brasil também é o lugar onde mais tempo se perde com locomoção.

Bruno Queliconi é doutorando no Instituto de Química da USP