Responsabilidades

Estadão

03 Dezembro 2010 | 08h00

Quando você entra no 1º ano e vê toda aquela gente grande do colegial, em especial os do 12º (3º colegial), se pergunta quanto tempo vai levar até estar naquele lugar. Os anos passam, mesmo assim parece que ainda está no mesmo lugar de antes, tudo está tão longe. Aí, quando está no 12º, o tempo não passa, ele voa! O ano inteiro passa numa correria que você muitas vezes ergue os braços pra cima e exclama: “SOCORRO!!”. Por que as coisas são assim?

A sensação de falta de tempo é, sem dúvida, muito mais forte agora nos últimos dias, só mais uma semana… só mais uma semana de ensino médio, e depois um novo capítulo começa do zero. Não vou mentir, é uma das melhores sensações que há, pensar que ano que vem será tudo diferente, chega da mesma rotina, dos mesmo lugares, rostos e desgostos… porém, ao mesmo tempo é como se você fosse uma formiguinha solta num mudo novo inexplorado. O que de fato, a certo modo, é verdade.

Enquanto uns estão prontos, outros não estão, ou só estão pensando na “adorável” festa de formatura… Agora eu pergunto: sem uma festa, você não se forma? Ela é tão importante, a ponto de se cogitar fazer RGs falsos para menores para poderem beber até cair, tão importante a ponto de scolocar em jogo sua honra? Agora é hora de deixar o “ninho”, deixar para trás as muletas e amparos e tomar autonomia de sua vida. Não vai querer depender sempre de alguém, certo? (espero que pensem mais ou menos assim…)

Tá legal, conforto é ótimo, quem não gosta? Mas passar o resto da vida dependendo dos pais, morando com eles e sem tomar jeito… não é um pouco demais? Claro, existem os pais controladores que acham que os filhos são de cristal, são o tipo mais comum nos tempos de hoje e também os mais patéticos e lamentáveis. Está nessa situação? Lute. Mostre que não é de cristal, assuma responsabilidades e cumpra-as com respeito e acima de tudo, seriedadade.

Sabrina está no 3º ano do ensino médio da escola Waldorf Micael