Recesso? Para alguns

Estadão

28 Dezembro 2011 | 14h26

O IQ não fica completamente vazio nesse período de férias porque há trabalhos que não podem esperar. Muitos experimentos são incubações longas que levam meses para ficarem prontas. Outros exigem uma manutenção periódica, como cultura de células e colônias de animais.

Nesses casos, a maior parte dos laboratórios divide o trabalho para que seja feito por um grupo de pessoas menor. Ou por quem não tira férias! Aqui, um colega está cuidado das células e das leveduras de outros 2 cientistas e eu estou acabando alguns experimentos com a minha aluna de iniciação científica.

Apesar da falta de colegas ser um possível problema (caso só eles saibam algo que você precisa), existe a vantagem de trabalhar sem ninguém competindo pelos equipamentos e ter todo o laboratório para fazer a bagunça que quiser!

Embora seja um pouco triste trabalhar nesses períodos de festas, consigo usar a tranquilidade para colocar pendências em dia e adiantar algumas outras coisas aqui na USP.

Bruno Queliconi é doutorando no Instituto de Química da USP

Mais conteúdo sobre:

fériasIQLaboratórioUSP