Procurando foco

Estadão

21 Julho 2011 | 12h24

Segunda semana de recesso e eu ainda não consegui cumprir o que tinha programado. A primeira semana que era pra ser de descanso, acabou sendo uma semana agitada e para rever amigos. Não que isso seja ruim, ver amigos e se divertir é bom e necessário.

Mas diversão também cansa.

Esta segunda semana que era para ser de estudo está de ponta cabeça! O corpo e a mente se acostumam rápido longe das apostilas. Tenho dormido tarde e acordado mais tarde ainda. Estabelecer uma rotina para os estudos parece difícil. Eu tenho dificuldade em montar horários de estudo e estudar sem alguém para me guiar, um professor.

Mas também não sei estudar em grupo, perco o foco. Estudar em casa é algo complicado, qualquer coisa te distrai. E parece, ao menos pra mim, mais cansativo. Sei que muitos vestibulandos estão com o mesmo problema. Sei também que nessa hora bate o desespero. Uma hora, um dia que perdemos de estudo é uma tormenta: “Um dia sem estudar, menos tantas questões na Fuvest”.

Os prazeres e curiosidades pessoais também dificultam muito. “Schopenhauer não cai no vestibular. Os filmes que você quer ver no cinema não vão te ajudar passar.” Sempre ouvimos coisas do tipo.

Porém, eu não acho que eu não deva dedicar um pouco do meu tempo às atividades que não têm relação com o ingresso na faculdade. Em relação aos livros, é claro que se você não leu os obrigatórios, é imprescindível lê-los primeiro. No mais, é sempre o tempo que me preocupa. Apenas três meses para a primeira prova. E eu não acho que estarei preparada até lá.

Luiza Nunes é aluna do Cursinho da Poli