Estudos para a Qualificação

Estadão

16 Novembro 2011 | 10h57

Como já disse anteriormente, a qualificação pode ser um dos momentos mais difíceis da pós-graduação. É nela que os professores irão te testar ao máximo para verificar que você conhece o suficiente para ser um mestre ou um doutor (meu caso) na área de especialidade que você almeja.

A qualificação é diferente em cada instituto. Na Educação Física é necessário que você apresente uma pré-tese, enquanto na Química você só precisa de um resumo, por exemplo. Em ambas, uma coisa é certa: você será avaliado por um grupo de professores que tem a missão de certificar que você chegará ao momento derradeiro (a defesa da tese) em boa forma para defender o seu projeto perante os ávidos olhos do público.

Na minha defesa eu tenho um professor e uma professora que são químicos e uma professora formada em Biologia. Todos entendem profundamente de aspectos importantes de meu projeto, da parte química das reações com radicais de oxigênio à integração da mitocôndria ao compartimento celular. Isso é ótimo: significa que terei boas sugestões de desenvolvimento e eles poderão apontar falhas do trabalho mais facilmente.

O que tem me preocupado é que como biólogo tenho uma limitada formação em química e isso pode me colocar em um posição complicada se os professores fizerem perguntas muito químicas. Por isso, meus estudos serão focados na parte química e nas questões de bioquímica e biologia molecular essenciais na minha atuação profissional assim conseguirei cobrir todos os assuntos para que eu supere mais essa etapa.

Bruno Queliconi é doutorando no Instituto de Química da USP