Desabafo

Estadão

12 Setembro 2011 | 21h03

Essa quantidade de cursinhos às vezes me espanta. O número de anúncios e propagandas cresce na mesma proporção em que eles são procurados por estudantes desesperados com os vestibulares da vida.

Não critico a indústria por trás disso, não teria respaudo para tanto. Acho normal, inclusive, existir um mecanismo de preparação para provas que envolvem classificação para qualquer coisa. O que desperta minha preocupacão é o motivo dessa demanda. A escola não está conseguindo formar um jovem como deveria, pelo menos na questão intelectual.

Não é um problema fácil de ser resolvido, porque envolve várias questões. Professores recebendo salários que não acompanham a responsabilidade de suas funções e sem protestos aceitos. Colégios sem estrutura física para oferecer a educacão em tempo integral. Pais sem interesse na vida escolar de seus filhos.

Solucões são possíveis, mas requerem certo tempo. Enquanto isso, estudantes pobres e sem condicões de buscar tais cursos seguem levando certa desvantagem para ingressar na vida profissional.

Esté foi um desabafo de quem sentiu na pele as dificuldades de estudar a vida inteira no ensino público (apesar do convênio com a rede Marista) e teme pelos sonhos de tantos jovens brasileiros.

Ederson Oliveira é vestibulando e fez curso técnico em Enfermagem

Mais conteúdo sobre:

cursinhoeducação