Aprovada, mas nem tanto…

Estadão

24 Dezembro 2010 | 08h12

E após muitos dias de ansiedade, finalmente, o resultado. Fui aprovada para a 2ª fase da Fuvest. Sim, falo isso sem ponto de exclamação. Obviamente, vocês devem ter deduzido, pelo post que escrevi há algumas semanas: não passei na Unicamp.

Bem, a culpa (é claro) não foi do Drummond. Fiquei muito nervosa, demorei um tempão para escrever o bendito texto 3 e, como resultado, não consegui efetuar os cálculos da prova com calma. Se não fosse o fator ansiedade, eu teria sido aprovada.

Como já disse aqui, não quero ir para a USP. Mesmo sendo paulistana, não gosto do clima de São Paulo. Toda vez que visito a cidade, volto para casa com dor de cabeça e mal-estar. Provavelmente, são os efeitos da poluição. Não troco a “tranquilidade” campineira por enxaquecas, nem que isso me custe mais um ano de estudo pré-vestibular.

Como não consigo ficar sem estudar, voltarei ao batente semana que vem. Revisar algumas disciplinas para a próxima fase da Fuvest, ler meu postergado Álvaro de Campos e, o melhor de tudo, voltar a estudar francês! (agora com exclamação…)

Enquanto isso, acabei de imprimir o atestado de incompetência, com aquelas letras garrafais, em relação ao resultado da Unicamp: O candidato não foi aprovado na 1ª fase. Vou colar no meu mural de recados, para eu sempre me deparar com os tais dizeres. O objetivo é internalizar bem a derrota, não quero mais passar por isso. Já que não tenho talento, resta-me agora a persistência. Não vou desistir.

Bianca estuda por conta própria para entrar em Letras