Acostumando-se com os estudos noturnos

Estadão

04 Março 2011 | 12h08

Feriado a caminho e muitos colegas subitamente desaparecendo para comemorar as festividades. O feriado é bom para descansar. Deixo o samba de lado para quem quiser!

A semana foi calma, mesmo com o agito pré-carnaval. O único evento deprimente foi o de uma querida professora agindo feito uma criança do primário quando simplesmente vomitou um trabalho, por sinal muito bom, e que não deveria ser passado da forma como ela o passou.

Tudo porque enquanto escrevia em aramaico mal escrito alguns alunos conversavam, deixando-a irritada porque não era o centro das atenções naquela noite tão gelada na sala 317. Fazer o quê? As coisas são assim, sempre encontraremos magalomaníacos por aí. O “castigo” foi o trabalho em duplas e trios sobre diversos períodos do governo brasileiro.

Ainda bem que temos outros tantos professores com bom senso! Estudar à noite está se mostrando ser muito melhor do que com as galinhas, e estou me adaptando cada vez mais ao novo ritmo. O problema só é acordar cedo quando preciso, mas dá-se um jeito. Agora que o calor finalmente partiu, tudo fica mais agrádavel e fácil.  Só mesmo a chuvinha, que não dá trégua, serve para atrapalhar.

E nesta sexta-feira temos o regional de New Jersey! Grande campeonato de robótica em que, representando nosso país, temos os meninos lá de São José dos Campos com o logomotion (http://www.youtube.com/watch?v=oxujTCgQPgg). Vamos trocer por eles, para voltarem para casa com o troféu e prontos para a segunda fase: o MUNDIAL!

Sabrina estudou na Escola Waldorf Micael e é caloura de Jornalismo na Unisa

Mais conteúdo sobre:

Rotinasabrinawaldorf