As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Textos e elementos gráficos são elogiados por professores do Etapa

Redação Estadão.edu

25 Novembro 2012 | 23h00

De acordo com o coordenador do Etapa, Edmilson Mota, a prova de primeira fase da Fuvest foi bastante elogiada pelos professores do cursinho. “A mesma opinião, no entanto, talvez não seja compartilhada pelos alunos”, comenta.  Ainda assim,  o coordenador afirma que o aluno bem preparado deve ter se sentido recompensado pelo esforço realizado nos últimos meses. Abaixo, alguns comentário pontuais por disciplina:
Biologia e Química
“As provas abrangeram grande parte do conteúdo do programa e misturaram questões simples e de média dificuldade, tal como seria o mais adequado para um exame de primeira fase. Muitas das questões apresentaram gráficos e tabelas, integrando dessa forma a análise à teoria. Inspirando-se no Enem, a Fuvest tem adotado cada vez mais e melhor questões nesse formato.”
Física e matemática
As provas tiveram um formato semelhante, com a integração de questões mais diretas, de enunciados simples e curtos, com outras mais elaboradas, de conteúdo mais conceitual, no qual o conhecimento dos candidatos era melhor avaliado. A prova de física tratou muito mais de conceitos e exigiu poucos cálculos, foi pouco manipulativa.”
História
“No ano passado a Fuvest havia minimizado a participação de história contemporânea nas questões da disciplina, e abordado pré-história, algo que surpreendeu a todos, pois tratava-se de um conteúdo que dificilmente era tratado pelas avaliações dos últimos anos. Dessa vez, o exame foi muito mais equilibrado.”
Geografia
“Certamente a mais bela das provas. Reuniu mapas, tabelas, gráficos e fotografia. Em nenhuma das questões os elementos foram utilizados de modo despretencioso. Sempre que apareciam, ajudavam o candidato na resolução das questões e a tornavam mais rica. Foi um primor de prova.”
 
Linguagens: português e inglês 
“Texto, texto e mais texto. A gramática voltou a aparecer, mas ainda de modo discreto. A interpretação de texto mais uma vez foi o que pesou. Como nos últimos anos, as questões de literatura estiveram todas relacionadas às obras exigidas. Nesta edição, as questões de inglês exigiram um vocabulário um pouco mais específico do que o normal, o que pode ter dificultado um pouco para alguns alunos.”